quarta, 08 de fevereiro de 2023
SIGA-NOS

“MENU DE FETOS” Empresa cria útero artificial que poderá fabricar 30 mil bebês por ano: VEJA VÍDEO



Publicado em sexta-feira, dezembro 16, 2022 · Comentar 

Primeiro complexo com úteros artificiais do mundo poderá “fabricar” 30 mil bebês por ano e permitiria que pais escolhessem características de bebês

Você já chegou a imaginar em algum momento uma “fábrica” que produz bebês? Parece algo surreal, certo? Pois é, mas e se eu te disser que existe uma tecnologia que poderá “fabricar” bebês em massa? Essa situação que parece possível só em filmes pode estar cada vez mais próxima de acontecer.

Algo que parece tão distante e fora da realidade está bem próximo de acontecer graças ao biotecnólogo e comunicador científico Hashem Al-Ghaili, de Berlim (Alemanha), que apresentou o que podemos chamar de a primeira instalação de úteros artificiais do mundo.

O projeto que cria uma instalação de útero artificial não só poderá produzir bebês em massa como também permitirá que os pais possam escolher as características do bebê através de um “menu” de opções.

Primeira instalação de útero artificial do mundo

Chamada de EctoLife, a primeira instalação de útero artificial do mundo ainda é um conceito baseado, no entanto, segundo All-Ghaili, o conceito é baseado em mais de cinquenta anos de pesquisas científicas, realizadas por pesquisadores de todo o mundo.

All-Ghaili, em entrevista ao The Mirror do Reino Unido, acredita que em 10 anos as instalações de útero artificial já poderão se tornar realidade, isso claro, se as restrições éticas forem removidas.

“Cada recurso mencionado no conceito é 100% baseado em ciência e já foi alcançado por cientistas e engenheiros”, revelou o All-Ghaili.

Segundo o cientista, o complexo conseguirá produzir cerca de 30 mil bebês ao ano. As instalações vão contribuir para que casais inférteis possam conceber um bebê se se tornarem os pais biológicos de seus filhos.

O projeto também poderia contribuir com os países que atualmente enfrentam um grave declínio populacional, como, por exemplo, Japão, Bulgária e Coréia do Sul.

Além de conceber 30 mil bebês por ano, a EctoLife também poderia modificar os genes dos bebês, onde seria possível estabelecer certas características desejadas pelos pais.

“O processo de entrega é tranquilo, conveniente e pode ser feito com apenas o apertar de um botão. Após descarregar o líquido amniótico do útero artificial, você poderá remover facilmente seu bebê da cápsula de crescimento”, explicou Al-Ghaili.

“O EctoLife, a primeira instalação de útero artificial do mundo, é totalmente alimentado por energia renovável. Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 300.000 mulheres morrem de complicações na gravidez. O útero artificial EctoLife foi projetado para aliviar o sofrimento humano e reduzir as chances de cesáreas. Com EctoLife, partos prematuros e cesáreas serão coisas do passado”, disse o cientista.

Para Al-Ghaili, a tecnologia já é real e está disponível, segundo acrescenta o cientista, agravando o desenvolvimento do projeto são as restrições éticas que impedem o conceito de se tornar realidade.

Da Redação 
Com Gutemberg Cardoso

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48