quinta, 01 de dezembro de 2022
SIGA-NOS

Flordelis é condenada a 50 anos de prisão pela morte do marido



Publicado em domingo, novembro 13, 2022 · Comentar 

Pena de Flordelis deve ser cumprida em regime inicialmente fechado
MAURICIO ALMEIDA/W9 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO – 7.11.2022

ex-deputada Flordelis dos Santos de Souza foi condenada a cumprir 50 anos e 28 dias de reclusão pela morte do ex-marido, o pastor Anderson do Carmo. A pena pelo homicídio triplamente qualificado deve ser cumprida em regime inicialmente fechado, conforme determinação do Tribunal do Júri de Niterói (RJ).

A decisão afirma que a execução de Anderson do Carmo ocorreu de forma cruel e por motivo torpe, sem a possibilidade de defesa da vítima. “A ação criminosa evidencia, portanto, verdadeira e bárbara execução”, destaca a sentença assinada pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, titular da 3ª Vara Criminal da Comarca de Niterói.

Simone dos Santos Rodrigues, filha biológica de Flordelis, também foi condenada pelo assassinato e deve cumprir 31 anos, quatro meses e 20 dias de reclusão em regime inicialmente fechado.

André Luiz de Oliveira e Marzy Teixeira da Silva, filhos afetivos da ex-deputada, e Rayane dos Santos Oliveira, filha adotiva de Simone e André, foram absolvidos das acusações. Outros cinco réus já haviam sido condenados anteriormente por envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo.

O julgamento de Flordelis, que teve início na última segunda-feira (7), teve duração de sete dias e terminou com a oitiva da ex-deputada. No depoimento, ela relatou ter sido vítima de agressões do ex-marido e afirmou que a morte de Anderson do Carmo foi motivada por abusos.

“Meu marido só sentia prazer se me machucasse”, comentou Flordelis sobre a agressividade do ex-marido na intimidade e alegou não ter apresentado nenhuma denúncia por vergonha. Ao ser questionada sobre quem matou o pastor, a   chorou, negou as acusações de tentativa de envenenamento da vítima e disse que não poderia acusar ninguém pelo assassinato.

Denúncia

O Ministério Público afirma que Flordelis foi a responsável por planejar o homicídio do marido, além de ter convencido o executor direto e demais acusados a participarem do crime sob a simulação de ter ocorrido um latrocínio (roubo seguido de morte).

A denúncia alega ainda que ela teria financiado a compra da arma utilizada no crime e avisado sobre a chegada de Anderson do Carmo no local em que ocorreu a execução.

Segundo as investigações, o crime teria sido motivado porque a vítima mantinha rigoroso controle das finanças familiares e administrava os conflitos de forma rígida, sem permitir tratamento privilegiado às pessoas mais próximas da ex-deputada.

A acusação cita ainda tentativas de homicídio anteriores, com a administração de veneno na comida e bebida da vítima, ao menos seis vezes, sem sucesso. Os réus respondem também por associação criminosa.

Da Redação 
Com R7

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48