domingo, 27 de novembro de 2022
SIGA-NOS

A saúde bucal também impacta o coração



Publicado em quarta-feira, outubro 26, 2022 · Comentar 

Pouca gente sabe, mas, em se tratando do coração, além de exames e consultas de rotina, a saúde bucal também precisa ser cuidada. Esse é um dos focos do Dia Nacional da Saúde Bucal, celebrado no dia 25 de outubro.

A boca é um dos locais do corpo humano com maior concentração de bactérias. E, por “concentração”, entenda que se trata de mais de 50 bilhões de bactérias diferentes, que aderem à superfície dos dentes, em próteses, na gengiva e na mucosa, formando o que chamamos de biofilme, que é uma espécie de película protetora para comunidades microbianas viverem afixadas em superfícies. O problema é quando essas bactérias chegam ao sangue.

Mas como? Por causa de um fenômeno chamado bacteremia. Se existe acúmulo de bactérias na boca, elas podem facilmente cair na corrente sanguínea durante um procedimento cirúrgico dental ou mesmo por meio de lesões de gengivite ou periodontite. Se isso ocorre, as bactérias da boca podem rapidamente chegar ao coração, se instalarem em uma válvula e gerarem uma endocardite infecciosa. Aqui, vale mencionar outros fatores que colaboram para o risco de adesão dos agentes infecciosos à válvula cardíaca: administração de drogas intravenosas, doença valvar prévia e válvulas cardíacas mecânicas.

Outra situação importante é que, no caso de gengivite, a inflamação das gengivas pode gerar proteínas que lesionam o tecido cardíaco e formam placas de gordura coronária. Mais um fator de risco para o coração.

As doenças cardiovasculares são as principais causas de óbitos no Brasil atualmente – além de serem também as primeiras nesse ranking em todo o mundo. Por isso, é essencial que as pessoas mantenham uma rotina de consultas e exames, sem deixarem de incluir cuidados com a higiene bucal nessa rotina – inclusive se forem portadoras de dispositivos mecânicos no coração, como válvulas, marca-passos, desfribiladores ou outros cateteres, aonde as bactérias também chegam.

Por tudo isso, estou aqui hoje, como cardiologista, para dizer: cuidem bem da sua saúde bucal. Atenção para sintomas como gengivas inchadas, doloridas ou avermelhadas, sangramentos, amolecimento de dentes permanentes e até mau hálito – todos eles podem indicar gengivite ou periodontite. Embora esses nomes rimem com endocardite, não queremos ter que conectar uma coisa à outra de nenhuma outra forma, principalmente no que se refere à saúde do seu coração.

Mantenha hábitos frequentes de higiene dental e considere que a saúde humana se baseia em tantas conexões que nem imaginamos, mas que podem virar casos de emergência de uma hora para a outra.

* Rafaela Penalva é cardiologista e professora do curso de Medicina da Universidade Santo Amaro – Unisa. 

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48