domingo, 12 de julho de 2020
SIGA-NOS

Deputado apresenta processo de impeachment contra Bolsonaro



Publicado em quarta-feira, março 18, 2020 · Comentar 

deputado distrital Leandro Grass (Rede-DF) protocolou hoje um pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro por crime de responsabilidade. O requerimento foi protocolado na Secretaria Geral da Mesa da Câmara dos Deputados

De acordo com Grass, Bolsonaro praticou “atos condenáveis” durante a gestão desde sua posse – em 1º de janeiro de 2019.

São cinco as alegações que embasam o pedido de impeachment:

Alegar, sem apresentar provas, que as eleições de 2018 foram fraudadas;

Convocar e apoiar manifestações do dia 15 de março de 2020, que tinha como alvo os Poderes Legislativo e Judiciário – mesmo com as recomendações de órgãos de saúde para que não houvesse aglomerações de pessoas por causa do coronavírus;

Fazer declarações indecorosas contra a jornalista Patrícia Campos Mello, do jornal Follha de S. Paulo;

Publicar vídeo com conteúdo pornográfico no Twitter em fevereiro de 2019 – episódio que ficou conhecido como “golden shower”;

Determinar comemoração do Golpe Militar de 1964.

De acordo com o deputado, Bolsonaro cometeu outros crimes de responsabilidade. Mas, para fins pedagógicos e para facilitar a compreensão da denúncia o deputado se limitou a listar no documento apenas os cinco episódios citados.

“Desde que sentou na cadeira da Presidência da República, em janeiro de 2019, Bolsonaro vem praticando uma série de atos incompatíveis com o decoro que o cargo que ele ocupa exige. O país hoje está em crise econômica, estamos passando por uma crise mundial de saúde e ele ignorando os protocolos e colocando a população em risco. O Brasil não tem condições de superar essas crises com Jair Bolsonaro na presidência. Ou ele, ou o povo”, analisou Leandro Grass ao justificar sua decisão.

No pedido, o deputado Grass ainda aponta a gravidade de outras ações e episódios que envolvem não só o presidente, mas também sua família, como indícios de ligações de parentes com milicianos e movimentações financeiras inexplicáveis de Fabrício Queiroz à sua esposa, Michele Bolsonaro.

“A imprensa noticia, quase que semanalmente, o envolvimento da família do Presidente com milícias do Estado do Rio de Janeiro, inclusive tendo exaltado policiais que hoje são condenados pela Justiça. Ademais, o Presidente jamais explicou os empréstimos de Fabrício Queiroz à sua esposa, nem mesmo as denúncias de servidores fantasmas, enquanto era Deputado Federal”, aponta Grass, no pedido entregue à Câmara.

Da Redação 
Com Notícias ao Minuto

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48