segunda, 15 de outubro de 2018
SIGA-NOS

Com figurino de vítima, Eduardo Cunha renuncia à presidência da Câmara, que terá nova eleição



Publicado em quinta-feira, julho 7, 2016 · Comentar 

eduardocunha79834Com figurino de vítima e com discurso cheio de lágrimas, o deputado federal Eduardo Cunha  (PMDB- RJ) renunciou à presidência da Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (07) e jogou para seu vice, deputado Waldir Maranhão, toda a responsabilidade pelo caos em que se encontra o parlamento.

Com a estratégia, o parlamentar vai tentar permanecer no mandato, driblando assim a cassação por ter mentido sobre a existência de contas no exterior.

O paraibano Aguinaldo Ribeiro, do PP, é um dos cotados para disputar a vaga já ocupada por Cunha na Câmara Federal.

“Resolvi ceder ao apelos generalizados dos meus apoiadores […] Somente a minha renúncia poderá pôr fim a esta instabilidade sem prazo. A Câmara não suportará infinidamente”, disse, ao ler sua carta de renúncia em entrevista à imprensa no Salão Nobre da Câmara. Ele informou ter encaminhado a carta ao primeiro-vice-presidente da Casa.

Ao ler a carta, Cunha disse que é alvo de perseguição por ter aceito a denúncia que deu início ao processo de impeachment de Dilma Rousseff. “Sofri e sofro muitas perseguições em função das pautas. Estou pagando alto preço por dar início ao impeachment”, disse, ao emocionar-se em alguns momentos

Eduardo Cunha chegou no início da tarde pela chapelaria da Câmara, passou na Secretaria-Geral da Mesa e marcou a entrevista à imprensa no Salão Nobre da Casa, apesar de ter sido autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a circular na Câmara apenas para se defender do processo de cassação no Conselho de Ética ou na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Em ocasiões anteriores, por várias vezes, Cunha negou que iria renunciar.

Da Redação
Com Pbagora

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48