sábado, 25 de setembro de 2021
SIGA-NOS

Em Sobrado, traição de vereador evangélico e intimidação do prefeito elege nova mesa da Câmara e casa terá 2 presidentes a partir de 2023



Publicado em sábado, julho 31, 2021 · Comentar 

Nos últimos anos as eleições para a Presidência da Câmara Municipal de Sobrado tem se tornado caso de justiça. Em se tratando de Sobrado e câmara, nada mais surpreende a quem acompanha a cena política daquele município, que tem sido gerido com rígido regime de controle do poder político contra adversários e o povo em geral.

O mais recente episódio deplorável ocorrido na câmara de Sobrado foi a realização de duas eleições para a Presidência da casa para o biênio 2023/2024 em menos de 30 dias quando o grupo liderado pelo prefeito não aceitou a eleição realizada no dia 01 de julho, onde a maioria dos vereadores elegeram o vereador Marcone (Cidadania) para a Presidência, abrindo dissidência dentro do grupo situacionista.

Marcone foi eleito em 1º de julho com o voto de seu colega Irmão Marcos, vereador evangélico, pregador da nova política, da ética e da moral, mas na quinta-feira – 29 de julho – o irmão Marcos traiu o grupo e aderiu a tese da segunda eleição elegendo o vereador Keke como presidente da segunda eleição.

Os argumentos do grupo liderado pelo ex-prefeito George Coelho, considerado em Sobrado como o “último coronel”, são de que o atual presidente da casa, vereador Marlon Brand não aceita o resultado da primeira eleição tendo convocada essa segunda, após a sessão do dia 1º que foi convocada e presidida pelo vice-presidente da câmara, o próprio Irmão Marcos.

A oposição se negou a participar da segunda eleição para a presidência da casa e o assunto deve voltar as barras da justiça nos próximos dias.

A eleição na quinta-feira, 29, teve plateia especial, com direito a voz na tribuna da câmara. Dentre as personalidades ilustres estavam o ex-prefeito George, seu ex-primeiro ministro Normandinho e o prefeito Leo.

Em sua fala o prefeito Leo fez questão de informar que teria demitido a filha do vereador Irmão Marcos, logo após a participação dele na primeira eleição, demonstrando seu poder de intimidação.

É bom lembrar que no ano passado (2020) a justiça anulou a eleição da Câmara de Sobrado e o juiz Anderley Ferreira Marques determinou a anulação da sessão que elegeu a mesa diretora da Câmara Municipal, bem como a realização de nova eleição em um processo idêntico ao ocorrido na última quinta-feira (29).

Não satisfeito com a decisão da justiça, muito menos com a nova eleição da mesa diretora, o então prefeito George Coelho suspendeu o repasse do duodécimo do legislativo chegando a atrasar o salário dos próprios vereadores e servidores da casa, tendo sido preciso a justiça ser acionada, numa afronta escancarada a autonomia dos poderes e quebra da ordem constitucional.

Para os vereadores de oposição, a presença do ex-prefeito George na sessão da última quinta-feira (29) foi mais uma tentativa de intimidação contra opositores e até aliados, a exemplo do próprio Irmão Marcos que não conseguiu esconder seu constrangimento ao ser obrigado a mudar de posição.

Da Redação 
Do ExpressoPB

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48