domingo, 28 de fevereiro de 2021
SIGA-NOS

Famosa cantora gospel causa polêmica ao dizer que paraibanos comem ratos; veja



Publicado em quinta-feira, dezembro 24, 2020 · Comentar 

Uma fala da deputada federal Lauriete (PL), que também é cantora gospel, está dando o que falar e chegou a gerar críticas de alguns internautas, especialmente os paraibanos. Tudo porque a artista afirmou, em um vídeo, que no sertão da Paraíba é “normal” comer ratos. No material, ela chega a consumir o animal, que na verdade é uma preá (Cavia aperea), mamífero que faz parte da família Caviidae, das capivaras.

O vídeo foi gravado durante uma campanha missionária de natal, organizada pelos Gideões Missionários da Última Hora (GMUH), tradicional e famoso ministério de Balneário Camburiú, em Santa Catarina. A cantora aparece com o animal dissecado nas mãos, acompanhada de um dos missionários.

As imagens foram gravadas em um povoado na cidade de Pedro Régis, no Litoral Norte. A localidade anteriormente era um distrito chamado Retiro, no município de Mamanguape.

Com um fundo musical comovente, a artista surge no vídeo dizendo: “Gente estamos aqui no Sertão da Paraíba, em Retiro, e isso aqui é tradicional, olha. Comer isso aqui é normal. Isso é rato e hoje a gente vai experimentar o rato”. O vídeo se espalhou nas redes sociais e dividiu opiniões.

Enquanto uns se sensibilizaram com o fato das pessoas estaram “comendo ratos”, segundo a cantora, outros a corrigiam nos comentarios afirmando que o bichinho não era rato e que caçar o animal para comer é uma ação corriqueira em algumas localidades.

A prática de caçar preá para consumir, apesar de ilícita, é muito comum no inteiror do Nordeste, e até mesmo em alguns estados fora dele. Apesar de ser da ordem dos roedores, a preá não é considerada um rato. O animal é completamente herbívoro e sua principal fonte de energia é o capim. Até por conta disso, é comum ser encontrado próximo a riachos, brejos, córregos e rios.

A preá é um animal silvestre muito caçado para consumo. A caça é considerada crime pelo artigo 29 da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98)Ele diz que matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécies da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente pode ocasionar detenção ou multa.

Da Redação 
Com T5

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48