quinta, 25 de fevereiro de 2021
SIGA-NOS

Inflação é a maior para novembro em 5 anos e fica acima do centro da meta



Publicado em terça-feira, dezembro 8, 2020 · Comentar 

IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial no país, acelerou para 0,89% em novembro, após fechar em 0,86% em outubro. Esse é o maior resultado para um mês de novembro desde 2015, quando o indicador foi de 1,01%. Em novembro de 2019, o indicador havia ficado em 0,51%.

No ano, a inflação acumula alta de 3,13% e, em 12 meses, de 4,31%, acima do centro da meta do governo para 2020, que é de 4%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos (ou seja, podendo variar entre 2,5% e 5,5%). Neste ano, a inflação em 12 meses já havia superado a meta em janeiro e fevereiro.

Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e se referem às famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos.

A inflação em novembro foi puxada, principalmente, pelo aumento nos preços dos alimentos e dos combustíveis.

O cenário é parecido com o que temos visto nos últimos meses, em que o grupo de alimentos e bebidas continua impactando bastante o resultado.
Pedro Kislanov, gerente da pesquisa

Carne, batata e tomate puxam alta dos alimentos

No grupo dos alimentos, os componentes que mais pressionaram o índice foram as carnes, que tiveram alta de 6,54% em novembro, a batata-inglesa, que subiu 29,65%, e o tomate, com alta de 18,45%.

Além desses, outros produtos importantes na cesta das famílias também tiveram alta, como o arroz (6,28%) e o óleo de soja (9,24%). Com isso, o grupo de alimentos e bebidas variou 2,54%.

Outras variações positivas foram da cerveja (1,33%) e do refrigerante e água mineral (1,05%) consumidos fora do domicílio, que tiveram queda em outubro.

Gasolina sobe pelo 6º mês seguido

O grupo de transportes, que teve alta de 1,33%, foi a segunda maior influência no índice de novembro. A inflação do grupo foi causada pelo aumento no preço da gasolina (1,64%).

“É a sexta alta consecutiva da gasolina e, além disso, tivemos a alta de 9,23% do etanol e de outros componentes que têm bastante peso dentro dos transportes, como é o caso dos automóveis tanto novos quanto usados”, disse o pesquisador, ressaltando também as altas de seguro voluntário de veículos e transporte por aplicativo.

Juntos, os grupos de alimentos e bebidas e transportes representaram cerca de 89% da alta do IPCA de novembro.

 Errata: o texto foi atualizado

Uma versão anterior deste texto informava incorretamente, no segundo parágrafo, que a inflação em novembro ficou acima da meta do governo em 12 meses pela primeira vez em 2020. Na verdade, a alta de preços já havia superado a meta em janeiro e fevereiro. O erro havia sido destacado na Homepage do UOL. A informação foi corrigida.

Da redação/ Com UOL
Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48