quinta, 25 de fevereiro de 2021
SIGA-NOS

Com 93% das vagas em UTI ocupadas, Hospital das Clínicas de Campina Grande dobra números de leitos para pacientes de covid-19



Publicado em quinta-feira, novembro 26, 2020 · Comentar 

O Hospital das Clínicas de Campina Grande iniciou nesta quinta-feira (26) um plano para lidar com a segunda onda de covid-19 na Paraíba. Com o número de casos aumentando, a ocupação dos leitos de UTI do hospital chegou a 93%, o que significa que 14 dos 15 leitos estão ocupados, restando apenas um disponível. A partir de hoje, mais 15 leitos de UTI serão instalados, totalizando 30 no hospital.

O reforço também valerá para os leitos de enfermaria, cuja ocupação atual é de 66%, e passarão de 15 para 40. De acordo com o diretor técnico do hospital, Jhony Bezerra, equipamentos como ventiladores e monitores já estavam disponíveis no hospital.

Ele explicou que essa é a primeira etapa do plano do governo do Estado para lidar com o aumento no número de casos da doença. Se não for suficiente, 15 leitos de UTI e 15 de enfermaria do Hospital de Trauma de Campina Grande também poderão ser reativados. ”Eu sei que 15 leitos de UTI pode parecer pouco, mas não é. Os paciente que vão para a UTI são aqueles que complicam mesmo”, destacou.

Jhony Bezerra afirmou que a tendência é de crescimento dos casos em todo o país nas próximas duas semanas. ”Isso é reflexo do comportamento da população, principalmente com o período eleitoral nos últimos dias. As pessoas perderam o medo do vírus, deixaram de usar máscara, fazem aglomeração”, comentou.

O diretor do hospital disse ainda que muitos dos pacientes internados são oriundos de cidades do interior e que, embora 60% dos internados sejam idosos, pessoas jovens e sem comorbidades também podem ser afetadas seriamente pela doença.

Planos adiados – o atendimento a covid-19 adiou o plano de transformar o Hospital das Clínicas em uma maternidade para casos de alta complexidade e um centro para cirurgias eletivas. Inicialmente, o plano era que o hospital assumisse essa função em fevereiro ou março, mas com a chegada de uma segunda onda de covid-19, Jhony Bezerra acredita que esse prazo não não será cumprido. O hospital deve ficar atendendo casos de covid-19 até a situação estar sob controle.

Da redação/ Com Click PB

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48