quinta, 02 de julho de 2020
SIGA-NOS

Apresentador é denunciado por revelar ao vivo a uma mãe que a filha foi assassinada



Publicado em quarta-feira, fevereiro 19, 2020 · Comentar 

O programa ‘Cidade Alerta’, da TV Record, passou de todos os limites nesta segunda-feira (17). Durante o policialesco, o jornalista Luiz Bacci informou ao vivo a uma mãe que sua filha havia sido assassinada. A câmera se manteve ligada para captar a reação da mãe, que passou mal e desmaiou.

A repercussão negativa da audiência levou a TV Record a excluir a referida cena da plataforma digital que arquiva sua programação, mais uma indicação do caráter violador da situação.

Marcela, de 21 anos, estava grávida de 4 meses. Ela foi vítima de feminicídio, morta pelo próprio namorado. O homem confessou o crime em depoimento.

Comunicar uma mãe da morte de um filho é o tipo de coisa que não se faz ao vivo na televisão. Quem deveria informá-la são as autoridades que, por sua vez, erraram ao vazar a informação para o programa de Bacci.

A atitude de Bacci evidencia a máxima de Danilo Sobrinho, comunicólogo que estudou o jornalismo sensacionalista na obra ‘Espreme que sai Sangue’. “A mensagem sensacionalista é, ao mesmo tempo, imoral e moralista”. Para passar a mensagem do que é errado, exibe e subsiste desse tipo de conteúdo.

Nesta terça-feira 18, o a ONG Intervozes apresentou à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC – MPF) um requerimento solicitando providências legais para a responsabilização da TV Record por desrespeito e inadequação da emissora às normas vigentes para a radiodifusão brasileira e os direitos humanos, em âmbito nacional e internacional, durante a referida transmissão do programa Cidade Alerta.

O requerimento ressalta que a TV Record, concessionária de um serviço público, fere a Constituição Federal em relação ao direito à privacidade, à imagem e à intimidade dos indivíduos, bem como os valores éticos e sociais da pessoa e da família. Lembra, também, que a Carta Magna veda a veiculação de conteúdos que violem os direitos humanos e façam apologia à violência.

“No capítulo V, sobre a Comunicação Social, a Constituição afirma que as liberdades de expressão e de informação devem respeitar outros direitos fundamentais previstos na legislação em vigor”, destaca a peça.

Além disso, o documento aponta a previsão de responsabilização contida no Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos da ONU em relação a abusos no exercício da liberdade de expressão. “Significa dizer, em síntese, que a liberdade de expressão deverá ser protegida sempre, mas poderá ser restringida e sancionada quando incorrer em abuso que cause uma violação a um outro direito humano”, pontua.

A representação evoca, ainda, o Código Brasileiro de Telecomunicações (CBT), que determina que “os serviços de informação, divertimento, propaganda e publicidade das empresas de radiodifusão estão subordinados às finalidades educativas e culturais inerentes à radiodifusão, visando aos superiores interesses do País” e que “a liberdade de radiodifusão não exclui a punição dos que praticarem abusos no seu exercício”.

Cita também o Regulamento dos Serviços de Radiodifusão, que incluiu entre as obrigações de concessionárias e permissionárias a de “não transmitir programas que atentem contra o sentimento público, expondo pessoas a situações que, de alguma forma, redundem em constrangimento, ainda que seu objetivo seja jornalístico”.

Marcelo D. M.@mdavidmacedo

O que o Cidade Alerta de Luiz Bacci permitiu que fosse ao ar hoje é uma das maiores atrocidades que eu já vi na TV. A mãe soube da morte da filha ao vivo e desmaiou diante das câmeras. O vídeo é de quebrar no meio. A TV Record, concessão pública, foi indecente em todos os níveis.

6.339 pessoas estão falando sobre isso

pedroleite82@pedroleite82

Cidade alerta comunicando ao vivo para uma mulher que a filha dela foi assassinada. Ela começou a gritar e desmaiou. O Luiz Bacci é um dos jornalistas mais oportunistas e nojentos que existem, esse programa tem que sair do ar.

558 pessoas estão falando sobre isso

Portuga@portugalegal85

Bacci é o pior jornalistas da atualidade, faz de uma tragédia um show para obter audiência. Como alguém ainda gosta desse cara. Ele ainda perguntou para mãe se ela queria ouvir. Que lixo. Essa notícia era pra ser dada em particular e em local apropriado.

112 pessoas estão falando sobre isso

Bacci se pronuncia

Luiz Bacci usou seu perfil no Instagram nesta terça-feira (18) para comentar o episódio lamentável. “A gente estava ao vivo e a informação chocante fez com que ela se sentisse mal. Assim que terminou o programa ontem eu conversei com a D. Andrea, hoje eu também conversei com ela e ela fez questão de agradecer o Cidade Alerta. Mas quero também me desculpar, pedir desculpa a você que nos assiste por essa situação. Aqui é um programa ao vivo e nós infelizmente estamos sujeitos a isso. Nós jamais teríamos a intenção de causar qualquer desconforto a essa família. Nossa única intenção é ajudar nesses casos, que às vezes ficam invisíveis na sociedade”, iniciou por meio de stories.

Bacci ainda se desculpou com quem se sentiu chocado com a abordagem invasiva: “Para tranquilizar vocês, conversei longamente com a D. Andrea. Ela está grata e pede que o programa continue no caso, porque desconfia que outra pessoa tenha participado do assassinato da filha dela. Que esse assassinato da Marcela não seja mais um número, uma estatística. Eu peço desculpas a vocês, que assim como nós, ficaram chocados com a reação dessa mãezinha”.

Documentário

A falta de ética protagonizada por Luiz Bacci remonta ao caso Eloá, em 2008, quando, em busca de audiência, a apresentadora Sônia Abrão impediu a polícia de negociar com um sequestrador.

Após os negociantes não conseguirem lidar com o sequestro porque a linha do criminoso estava ocupada, as negociações se tornaram cada vez mais complexas e Eloá acabou assassinada. Sônia foi duramente criticada após o evento.

Veja o documentário ‘Quem Matou Eloá’, que busca compreender o papel da mídia sensacionalista na vida humana:

com informações de Hypeness

 

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48