segunda, 22 de julho de 2019
SIGA-NOS

Com essa ‘dinherama’, dê mais que desjejum prefeita!



Publicado em segunda-feira, abril 22, 2019 · Comentar 

Foto: Reprodução/Internet

Fazer cortesia com o chapéu alheio é muito bom e quando se pode jogar na cara do vizinho que ele deveria fazer igual a nós é ainda melhor. Num é que os marqueteiros da prefeitura de Caldas Brandão resolveram alfinetar os prefeitos das cidades vizinhas quando da distribuição do desjejum da semana santa.

A manchete na mídia oficial era bem provocativa: “Prefeita Neuma Rolim dá exemplo a região e distribui  peixes, coco, arroz, fubá e feijão a população carente na Semana Santa”. Em tom comparativo, o texto tenta menosprezar o esforço grandioso que os gestores vizinhos fizeram para distribuírem seus desjejum a seus munícipes. Alguns até nem conseguiram fazê-lo.

Os marqueteiros da prefeita esqueceram de abrir os cofres da prefeitura de Caldas Brandão para mostrar ao povo o quanto de recursos estão abarrotados, sobretudo no último mês.

Números enviados a coluna (marcosexpresso@live.com) comprovam que em março, Caldas Brandão – com uma população de menos de 5 mil habitantes – foi o maior arrecadador entre os municípios da região (Mari, Itabaiana, Gurinhém, São José dos Ramos…). Vejamos os números: FPM – R$ 681.032,79 (Seiscentos e oitenta e hum mil, trinta e dois reais e setenta e nove centavos); ICMS – R$ 139.936,47 (Cento e trinta e nove mil, novecentos e trinta e seis reais e quarenta e sete centavos); ROYALTIES DA ANP – R$ 3.517.663,40 (Três milhões, quinhentos e dezessete mil, seiscentos e sessenta e três reais e quarenta centavos).

A soma dessas três receitas (FPM+ICMS+ROYALTIES) somam a bagatela de R$ 4.338.632,66 (Quatro milhões, trezentos e trinta e oito mil, seiscentos e trinta e dois reais e sessenta e seis centavos).

Tomemos como comparação a cidade vizinha de Mari, que no mesmo mês, somando FPM+ICMS, já que não tem direito aos royaltieis, recebeu apenas R$ 1.624.182,37 (Hum milhão, seiscentos e vinte e quatro mil, cento e oitenta e dois reais e trinta e sete centavos).

A situação é ainda mais complexa quando se compara o número da população de Mari com a de Caldas Brandão, pois a primeira tem o quase o quíntuplo de habitantes da segunda, ou seja, cerca de 21 mil habitantes.

Diante dos números, concluí-se que não se trata de dar exemplo, mas de ter dinheiro para comprar cesta básica completa para dar aos mais necessitados e que bom seria que se fizessem sem tanta exposição de quem recebe.

Entendamos, portanto, que realmente a gestão da Sra. Neuma Rolim, esteja realmente dando exemplo a seus colegas prefeitos da região com seu farto desjejum da semana santa ; então que se cobre mais bons exemplos em outros setores de sua gestão.

Dê bom exemplo e reconstrua a Praça Central ao lado da Igreja de Nossa Senhora das Dores; que bom bom exemplo seria construir um portal na entrada e na saída da cidade. O esgoto a céu aberto na rua de acesso a Caldas, poderia ser retirado, se não com saneamento, mas pelo menos com fossas sépticas. E a rua que dá acesso a Cagepa? Bem que poderia ser urbanizada, com plantas artesanais e iluminação de led. E aquele ginásio/clube – sei lá o que – por trás da igreja que nunca termina? Dinheiro tem sobrando para tudo isso, falta querer dar bom exemplo também nesses aspectos.

Pois é senhora prefeita, Luiz Gonzaga dizia que “uma esmola que é dada ao um homem são, ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão”. Tomando por base esse afirmação do saudoso Gonzagão, usar a pobreza alheia para fazer propaganda é um péssimo exemplo. Bem que a senhora poderia cuidar melhor das pessoas e do lugar onde elas habitam… Sua propaganda do peixe foi vexatória.

Marcos Sales
Contato com a coluna: @Salles_Marcos
Email: marcosexpresso@live.com

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48