domingo, 25 de agosto de 2019
SIGA-NOS

Entrevista/ Karina Melo – “As mulheres se preparam tão bem quanto, e as vezes melhor do que, os homens…”



Publicado em sexta-feira, abril 19, 2019 · Comentar 

Karina Melo

“As mulheres se preparam tão bem quanto, e às vezes, melhor do que os homens, e o mercado trata de maneira desigual”

Uma tarde ensolarada, um calor de 40°c e lá está ela, de um lado para outro no calçadão do centro da cidade, tentando sair para um compromisso na capital, mas sempre sendo segurada por cerca de quatro mulheres que desejavam lhe falar algo, fazer um pedido, quem sabe, mas todas identificadas com ela, pelo fato de ser mulher. Todas elas saíram satisfeitas, com certeza pelo menos uma palavra de conforto elas receberam da vice-prefeita de Mari, Karina Melo. É sempre assim o dia-a-dia de Karina. Atenciosa, elegante, sempre no salto, mas sem perder a ternura. Nessa entrevista para EXPRESSO, Karina fala sobre a temática das mulheres, oportunidades desiguais, violência contra elas e a luta para se conquistar espaços, muitas vezes tolhidos pelos homens.

RE – O que representa para as mulheres a presença delas em cargos de chefia atualmente? o que antes dificilmente se via.

Karina MeloEm pleno 2019, elas ainda ganham menos do que os homens, exercendo as mesmas funções. As mulheres se preparam tão bem quanto, e às vezes, melhor do que os homens, e o mercado trata de maneira desigual. Não é algo justo, principalmente em um país onde a luta pela igualdade é constante vinda das brasileiras.

RE – O número de mortes de mulheres por companheiros é alarmante nos últimos anos. Na sua opinião como as mulheres devem enfrentar o feminicidio?

Karina MeloA violência contra a mulher na sociedade brasileira é um grande problema que se perpetua aos dias atuais. Desta forma, foram criadas leis que visam amenizar tal situação, porém o desafio é permanente. Além disso, é necessário entender que um dos principais motivos à resistência da violência contra a mulher tem relação direta da nossa sociedade patriarcal e machista. O feminicidio é o nome dado ao crime praticado contra as mulheres, pelo fato de ser do gênero feminino. Muitos questionaram a necessidade dessa implantação por existir a Lei Maria da Penha, porém o feminicidio tem o intuito de qualificar as leis já existentes, ou seja, aumentar os anos de pena para essa situação e garantir que crimes desta natureza sejam devidamente punidos. Assim, a Lei Maria da Penha que se enquadra a crimes domésticos contra a mulher e o feminicidio juntos traz um viés de garantir a segurança e romper com a ideologia que a mulher é sexo frágil. Mesmo com avanços tecnológicos e seu crescimento no Brasil, atos como esses primordiais ainda se faz presente nos dias atuais. Isto porque, é notório perceber que a visão de parte da nossa sociedade, patriarcal e machista, enxerga o gênero feminino como um ser limitante aos trabalhos domésticos. Para isso, é necessário ampliar a visão do trabalho das mulheres, pois a cada dia elas vem conquistando, mesmo em passos menores, sua ascensão social e garantindo seus direitos dentro dessa sociedade que tenta quebrar seus tabus. Por isso é necessário fazer denúncia quando houver casos de agressão. Além disso, é necessário que questões como essa sejam discutidas nas escolas, na mídia, enfim, é importante a participação social visando uma sociedade melhor, mais igualitária e sem restrição de gênero. Na semana em que a Lei Maria da Penha completou 12 anos, tribunais de todo o Brasil se reuniram para discutir os caminhos para melhorar a sua aplicação. O evento aprovou uma carta com recomendações com vistas a fortalecer o combate à violência contra as mulheres por meio desse instrumento. Segundo dados do Conselho Nacional de Justiça, atualmente tramitam mais de 10 mil processos envolvendo assassinatos de mulheres com a motivação de gênero, modalidade denominada feminicídio.

RE – As mulheres têm se destacado na política, qual o conselho que você daria para quem deseja entrar nesse campo praticamente dominado pelo homem?

Karina MeloMesmo sendo maioria da população, as mulheres ainda sofrem com a falta de representatividade em vários espaços e infelizmente na política não é diferente. A entrada de mulheres representa uma maior competição para os homens que já estão na política. Existem estudos que mostram que as mulheres impactam não só na tomada de decisões de políticas públicas, mas também na maneira como recursos são alocados e as dinâmicas informais da política. Vale lembrar que, no Brasil, não existia banheiro feminino no Senado até 2015, algo que mostrava fisicamente que as mulheres não faziam parte daquele espaço. Na câmera dos deputados federais são 513 parlamentares, dos quais 77 apenas são mulheres. No senado federal das 81 cadeiras ocupadas, apenas 12 cadeiras são ocupadas por mulheres. Enfim, é importante pra tomar consciência da desigualdade de gênero que predomina na política brasileira, refletir sobre possíveis mudanças e reformas que valorizem a presença da mulher e encorajem sua participação nas disputas eleitorais. Mas tenham certeza que vamos dominar o Mundo!

RE – Como tem sido a missão de ser vice-prefeita em um município pobre, onde as pessoas esperam do poder público resolução de seus problemas mais íntimos?

Karina MeloPara mim, é uma atividade prazerosa, honrosa, gratificante, por ter sido a primeira vice- prefeita mulher e muito jovem na cidade que amo e que eu nasci. Ao mesmo tempo é muito difícil, por não ter poderes para realizar muitos projetos em prol da população, que infelizmente o meu cargo não me dá autoridade para isso. Mesmo diante de tudo isso, nunca deixei de atender a minha amada população, e fazer as minhas reivindicações ao prefeito do município. Sabemos que o papel do Vice, é um pouco esquecido quando se passa as eleições e muitas vezes são questionados por abandonar o seu povo durante os quarto anos de mandato. Como sempre falei em minhas entrevistas:  jamais abandonarei vocês, e o que estivesse ao meu alcance, eu faria para o bem do meu município. Marí é uma cidade carente, humilde e que precisa muito da atenção de seus representantes. Nós precisamos desse contato com o povo, para saber e sentir de perto o que realmente eles necessitam. Sempre que posso, estou dialogando com eles, escutando suas reivindicações, recebendo elogios e críticas, para que possamos fazer uma boa gestão. E tenham certeza, se eu pudesse faria muito mais!

RE – Na sua atividade política, quais são os planos para o futuro?

Karina MeloMeus planos para o futuro só pertence a Deus, que minha vida eu entrego a ele. Porém, me sinto altamente preparada para qualquer desafio da política aqui no meu município. Ainda sou muito jovem e temos muito tempo pela frente, isso não quer dizer que serei candidata à prefeita na próxima eleição, mas tenho um sonho, de um dia disputar as eleições como candidata a prefeita de meu município. Tenho grandes projetos em mente para Marí. Mas também sei que não será fácil, pois, hoje existe dois grupos políticos de ex-prefeitos, que já fizeram e fazem parte do desenvolvimento de nossa cidade. Mas nada é para sempre! Sou mulher, jovem, guerreira, dinâmica, e acima de tudo FILHA LIMPA! E porque não, ser candidata a prefeita no meu município??? Para tudo tem seu dia e sua hora! 

Publicado – Edição 44
Revista EXPRESSO/Março 2019

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48