domingo, 25 de agosto de 2019
SIGA-NOS

É preciso acreditar e defender o projeto



Publicado em sábado, abril 6, 2019 · Comentar 

Estava  eu a cuidar de meus afazeres, na manhã deste sábado – dia 06 de abril – quando o telefone toca, fui atender, do outro lado um colega que me questiona se no governo de Antonio Gomes [Mari] não tinha gente capaz [coragem] de defender aquilo que vem sendo feito na cidade pela gestão atual. Fiquei alguns minutos calado, não sabia o que responder para ele e de imediato me sai com essa: “o jeito vai ser contratar você”.

Esse colega, questionou uma participação no programa de rádio local, onde o ouvinte – por sinal figura bastante conhecida – ataca a gestão e suas ações  com o intuito escancarado de fazer a velha politicagem que Mari já se acostumou a assistir.

Desliguei o telefone e fiquei a pensar o porque das pessoas que acreditam no projeto político e administrativo atual se omitirem tanto, se esconderem do enfrentamento, falo do bom enfrentamento, do debate de idéias com aqueles que destronados do poder vivem a sonhar com o retorno e para isso tentam expor a uma situação vexatória o governo, seus integrantes e seus colaboradores. Diante disso, recorri ao líder estadunidense Martin Luther King que certa vez afirmou: “O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.”.

É chegada a hora dos bons começarem a falar, se ainda assim os maus conseguirem amedrontar pelo grito, os bons devem aumentar a voz. É preciso defender o projeto político que a maioria da população de Mari optou nas urnas em 2016. É preciso se desapegar do comodismo, seja o mais auto assessor da prefeitura ao mais simples cidadão que sentiu as mudanças que a gestão já implementou.

Não se admite que aqueles que durante os últimos quatro anos compactuaram com todo tipo de desordem, PERSEGUIÇÃO, humilhação e desmando tentem destruir um projeto que foi construído com diálogo, respeito e convencimento.

Antonio Gomes precisa de suporte político e social para poder realizar o que foi planejado em 2016 e gestado a partir de 2017 com o início do governo, mas que por alguns atropelos – natural pela complexidade política local – ainda não foi possível implementar por completo.

É fato que existem falhas, elas nunca deixarão de existir, nesse ou no próximo governo, mas essas falhas não podem ditar as regras do jogo. Auxiliares do governo precisam publicizar, dar visibilidade as coisas boas que a gestão vem fazendo, precisam deixar vaidades pessoais e compreender que o governo é um conjunto (Educação, Saúde, Ação Social, Administração, Obras, Infraestrutura, Agricultura, Transporte, Cultura, Esportes) e deixarem de isolar essas ações, como se cada pasta fosse um governo separado.

A bancada do prefeito na Câmara deve dar sustentação política e administrativa ao governo, definir de que lado está e falar a linguagem da gestão, sem medo e sem titubear.

O tecido social [apoiadores do projeto político e administrativo] em todos os segmentos que atuam também devem defender o legado das boas coisas que o governo já proporcionou ao povo: água encanada nas comunidades rurais através de poços artesianos; entrega do CEO, ambulância, Van adaptada para cadeirantes,  remédio na farmácia básica, Sala de AEE com profissionais capacitados, vagas nas creches para berçários, Projeto Propriedades Produtivas, Campeonato Mariense com premiação no valor de R$ 16 mil (antes era quite de montila e grade de cerveja), calçamentos em diversas ruas da cidade, iluminação de led em vários bairros da cidade (Silvino Costa e Loteamento Nova Esperança), dentre tantas outras ações que se fosse elencar passaria o resto do sábado, sem esquecer do respeito ao servidor público municipal, o respeito ao cidadão e o direito a liberdade, todas as liberdades.

Diante do que já coloquei aqui, recorro ao grande filosofo Mário Sergio Cortella, em seu livro “Por que fazemos o que fazemos”  onde ele afirma que “o reconhecimento é a melhor forma de estimular alguém”. Pois bem, partindo dessa premissa de Cortella, cada amigo, correligionário, admirador e integrante desse projeto de governo deve reconhecer seus méritos e os méritos do “capitão do time”, o prefeito Antonio Gomes. O reconhecimento do seu trabalho, das coisas boas que vem fazendo, o fará seguir adiante, lhe trará energia [gosto] para continuar lutando diante de uma situação que não é fácil para nenhum administrador público/político.

O sucesso desse projeto depende da participação de cada um cidadão que acredita nele, que compreende que nada é perfeito, que aprende-se com os erros, mas que se caminha para frente e nunca para trás, do contrário seria um retrocesso fatal.

Paz e bem e boa reflexão.

Marcos Sales
Contato com a coluna: @Salles_Marcos
Email: marcosexpresso@live.com

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48