segunda, 06 de fevereiro de 2023
SIGA-NOS

Conversas avançam, e Tebet deve ser ministra do Planejamento



Publicado em terça-feira, dezembro 27, 2022 · Comentar 

Nesta terça-feira, senadora tem reunião com o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva.

As conversas entre a senadora Simone Tebet (MDB-MS) e o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), avançaram nas últimas horas e ela deve ser a futura ministra do Planejamento.

A senadora chegou a Brasília na noite desta segunda (26). Nesta terça-feira (27), ela deve ter uma reunião com Lula.

Antes, deverá ocorrer um encontro do presidente do MDB, Baleia Rossi, com o petista Alexandre Padilha, já anunciado por Lula como futuro ministro das Relações Institucionais.

Tebet foi terceira colocada no primeiro turno das eleições presidenciais. No segundo turno, apesar de não ser uma aliada histórica de Lula, ela apoiou o presidente eleito. Isso impulsionou o nome da senadora para ocupar um ministério no novo governo.

Tebet queria inicialmente uma pasta ligada a ações sociais, como o Desenvolvimento Social, que acabou ficando com o senador eleito Wellington Dias (PT-PI). Lula ficou com o desafio de encontrar um espaço na Esplanada para a aliada.

Turbinada no ministério

No desenho acertado entre Tebet e a equipe de transição, o Planejamento deve ficar responsável pelo PPI, o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

Na gestão Bolsonaro, o PPI ficou um período com a Casa Civil, e depois com o Ministério da Economia. O programa define privatizações e concessões ao setor privado.

Também devem ficar sob a alçada do Planejamento o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA).

Ainda será discutido se Tebet também vai ficar responsável pela Secretaria do Patrimônio da União (SPU).

Bancos públicos

Nos últimos dias, foi discutido nos bastidores da transição uma suposta intenção de Tebet de que os bancos públicos ficassem sob o responsabilidade do Planejamento.

Segundo interlocutores da senadora, ela não quer indicar presidentes dos bancos, mas deseja uma ação coordenada dos bancos com o Planejamento. De acordo com eles, a senadora entende que são braços financeiros de políticas públicas.

Integrantes do futuro governo que estão em conversas com aliados e partidos informaram que a negociação sobre o Planejamento ter essa função de projetos estratégicos do governo levou Simone Tebet a aceitar a pasta.

Da Redação
Com G1

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48