quinta, 01 de dezembro de 2022
SIGA-NOS

Professora é demitida após dizer a alunos ‘como são feitos os bebês’



Publicado em sábado, novembro 12, 2022 · Comentar 

(Foto: Facebook/Reprodução)

Elaine Cosmo, professora de 38 anos, disse que foi demitida após explicar aos alunos de uma turma do 5º ano, de uma escola particular de Cerejeiras, em Rondônia, “de onde os bebês vêm”. O caso ocorreu no fim de outubro.

Ela explica que estava lecionando normalmente no dia 24. Faltando 10 minutos para o fim da aula na Escola Dimensão, uma das estudantes levantou o assunto.

“Ela falou: ‘perguntei pra minha mãe de onde vêm os bebês e ela disse pra eu perguntar pra senhora’. Na hora, fiquei até meio constrangida, porque a maioria dos alunos já sabe, né, eles têm 10, 11 anos”, diz a pedagoga.

Professora tirou dúvida de aluna
Elaine pediu que, quem já soubesse a resposta, levantasse a mão. A maioria dos estudantes levantou, somente quatro ficaram de fora. Assim, ela começou a explicar e pediu que aqueles que já sabiam permanecessem em silêncio.

“Falei que precisa de um homem e uma mulher. Os dois juntos, maiores de idade, responsáveis e se amando, vão conceber o bebê no ato sexual. Disse que o homem fabrica o espermatozoide e a mulher gera a criança no útero. Que todo mundo já foi espermatozoide um dia”, recorda.

A professora foi embora normalmente e, no dia seguinte, uma mãe de aluno ligou por volta das 13h. Ela disse que as mães do 5º ano haviam criado um grupo no WhatsApp, onde estariam “detonando” Elaine.

Mães marcaram reunião no WhatsApp
Já que Elaine não tinha conhecimento do grupo, a mãe ainda alertou sobre uma reunião que as mulheres marcaram com a direção, por volta das 14h30. Às 17h15, a professora foi chamada e demitida pela diretora e coordenadora.

“A diretora me questionou como havia sido a aula, eu contei como tinha acontecido. Sete mães foram à escola dizer que eu fiz gestos obscenos e usei palavreado ‘diferenciado’, não adequado para a idade das crianças”, narra.

Mediante a denúncia, Elaine foi demitida no mesmo dia. Os pais ainda alegaram que ela estaria passando muito dever de casa e não olhava as apostilas dos alunos.

‘Conhecida como a professora que faz gestos obscenos’
Elaine afirma que trabalhou no instituto por três meses, sem carteira assinada. Ela não teria recebido aviso prévio após a demissão e, inclusive, está entrando na Justiça contra a escola.

“Eu fui lá não para conversar, mas para ser demitida. Não fizeram uma reunião comigo e com os pais, não assinei nada. Não teve ata. Me senti muito constrangida, porque não pude ir na escola nem para pegar meus materiais e me despedir das crianças”, lamenta.

“Sou professora há oito anos, dou aula em escola de estado e município. Nunca recebi nem advertência. Como a cidade é pequena, estou conhecida como a professora que usa gestos obscenos com os alunos”, completa.

O que diz a Escola Dimensão?
Em nota enviada à reportagem, a Escola Dimensão afirma que “a versão apresentada pela professora não corresponde em nenhum momento com a realidade dos fatos”.

A instituição de ensino diz que não existe a disciplina “reprodução humana” no material escolar. Ainda, a demissão não ocorreu somente devido ao tema apresentado em aula, “posto que, apesar de ser uma tópico sensível para nossas crianças, há de ser considerado um planejamento pedagógico juntamente com a Equipe Gestora adequado para poder se ministrar aulas sobre educação sexual”.

Por fim, a escola defende que trabalha na cidade há mais de 27 anos e sempre teve como fundamento basilar o ensino de qualidade e excelência.

Nota da Escola Dimensão na íntegra

“Diante da proporção do assunto tratado nesta matéria, transmitido também em outros veículos de mídia, a Escola Dimensão, através de sua Diretoria, vem a público esclarecer e informar que, no tocante ao seu desligamento, a versão apresentada pela professora não corresponde em nenhum momento com a realidade dos fatos.
Longe disso, ao contrário do afirmado, é fato que a versão da professora foi ouvida pela Equipe Gestora da Escola; também é fato que não existe a disciplina “reprodução humana” no material escolar a ser utilizado pela turma.
Avigora-se ainda que o desligamento da referida professora não se deu apenas pelo assunto relatado nesta reportagem, posto que, apesar de ser uma tópico sensível para nossas crianças, há de ser considerado um planejamento pedagógico juntamente com a Equipe Gestora adequado para poder se ministrar aulas sobre educação sexual.
A Escola Dimensão trabalha em Cerejeiras há mais de vinte e sete anos e sempre teve como fundamento basilar o ensino de qualidade e excelência, com conteúdo preparados com antecedência e apropriados para cada faixa etária, adequados não apenas com nossa realidade cultural, mas, igualmente, certo ao nível de desenvolvimento dos estudantes. É com estes valores que cada decisão pedagógica na Escola Dimensão é determinada.”

Da Redação 
Com BHAZ

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48