domingo, 27 de novembro de 2022
SIGA-NOS

Lula diz que mercado está nervoso à toa, após turbulência em reação a declarações suas



Publicado em quinta-feira, novembro 10, 2022 · Comentar 

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, procurou minimizar a reação nesta quinta-feira do mercado financeiro, que reagiu mal a declarações suas criticando a necessidade de cumprir regra fiscal em detrimento de gastos sociais e defender que algumas despesas deveriam ser consideradas investimentos.

“O mercado fica nervoso à toa. Eu nunca vi um mercado tão sensível como o nosso. É engraçado que esse mercado não ficou nervoso com quatro anos do (governo Jair) Bolsonaro”, disse Lula ao deixar o Centro Cultural Banco do Brasil, sede da transição de governo.

O dólar fechou em alta de mais de 4% e o Ibovespa caiu 3,61%, com os operadores pessimistas com riscos de descontrole fiscal do futuro governo e também com o anúncio do nome do ex-ministro Guido Mantega para a equipe de transição. O Ibovespa caiu 3,61%.

Em discurso a parlamentares aliados mais cedo, Lula disse que é preciso mudar alguns conceitos fiscais.

“Muitas coisas que são consideradas como gasto nesse país nós temos que passar a considerar como investimento”, disse o presidente eleito.

“Não é possível que se tenha cortado dinheiro da Farmácia Popular em nome de que é preciso cumprir a regra fiscal, cumprir a regra de ouro. Sabe qual é a regra de ouro desse país? É garantir que nenhuma criança vá dormir sem tomar um copo de leite e acorde sem ter um pão com manteiga pra comer todo dia. Essa é a nossa regra de ouro”, acrescentou.

A chamada regra de ouro, prevista na Constituição, proíbe o governo de se endividar para cobrir gastos como salários e custeio da máquina.

O mercado financeiro está tenso com a discussão em torno da elaboração de uma Proposta de Emenda à Constituição que garanta recursos fora do teto de gastos para a continuidade do pagamento do Bolsa Família –como voltará a ser chamado o atual Auxílio Brasil– no valor de 600 reais e mais 150 reais por filhos até seis anos de idade.

Da Redação
Com Reuters

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48