quinta, 01 de dezembro de 2022
SIGA-NOS

Paraíba passa a ter no calendário oficial de atividades do estado a celebração do Dia Estadual de Conscientização sobre Mudanças Climáticas



Publicado em quinta-feira, setembro 15, 2022 · Comentar 

Os equipamentos de refrigeração e climatização, por exemplo, em sua maioria, lançam hidrofluorcarbonetos (HFCs) e o uso de combustíveis fósseis, como o diesel, acarreta liberação de dióxido de carbono (CO2). Pesquisas indicam que o planeta está agora cerca de 1,2ºC mais quente do que no século 19, sendo que a quantidade de CO2 na atmosfera aumentou em 50%. O ritmo de aumento da temperatura precisa diminuir se quisermos evitar as piores consequências das mudanças climáticas, afirmam os cientistas. É por essas e outras questões que debater as mudanças climáticas é algo mais que necessário. E a Paraíba sai na frente nessa questão com a Lei nº 12.392, publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (14), que institui o Dia Estadual da Conscientização sobre Mudanças Climáticas.

A iniciativa que partiu do deputado estadual Jeová Campos (PT), através do Projeto de Lei 3.544/2022, aprovado em plenário no dia 23 de agosto deste ano, incluiu no calendário oficial de atividades do Estado da Paraíba, o “Dia Estadual de Conscientização sobre Mudanças Climáticas”, a ser comemorado no dia 20 de setembro de cada ano. Jeová, que é Presidente da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente e da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB, sempre teve um olhar voltado para questões ligadas ao meio ambiente.

“A mudança climática é um dos maiores desafios do nosso tempo. Seus impactos, que afetam desde a produção de alimentos até o aumento do nível do mar – aumentando o risco de inundações catastróficas – têm desestabilizado as sociedades e o meio ambiente de uma maneira global, sem precedentes. Quase todas as atividades humanas resultam no lançamento de gases de efeito estufa e nós precisamos estar atentos a tudo isso, daí surgiu à ideia de propor a criação deste Dia, onde assuntos relacionados a esse tema possam ser aprofundados e difundidos”, afirma o autor do PL que originou a Lei que entra em vigor hoje, no dia de sua publicação.

O parlamentar paraibano lembra que esse debate já é feito em nível nacional, no Dia Nacional de Conscientização sobre as Mudanças Climáticas, celebrado no dia 16 de março. “Para a Paraíba sugerimos o dia 20 de setembro como o Dia Estadual de Conscientização Sobre Mudanças Climáticas em razão de que nesta data, em 2019, ocorreu a maior Greve Global pelo Clima, ocasião em que foram realizados diversos protestos internacionais para exigir a adoção de providências para combater as mudanças climáticas. As greves ocorreram em mais de 150 países, sendo que os organizadores relataram a participação de mais de quatro milhões de pessoas em todo o mundo e achamos positivo fazer essa associação”, explica Jeová.

Com a instituição do Dia Estadual de Conscientização Sobre as Mudanças Climáticas deverão ser viabilizados pelo poder público estadual debates e mobilizações em torno de alternativas mais sustentáveis para as mais diversas áreas, objetivando conscientizar a população paraibana para a importância do tema. A data chama a atenção da população para essa questão e também para a necessidade de ações que reduzam o impacto dessas mudanças sobre a terra.

            Sobre a greve Global pelo Clima

A Greve Global pelo Clima é um movimento que teve início em 2018, quando a ativista sueca Greta Thunberg e outros jovens decidiram não ir mais à escola às sextas-feiras. Eles passaram então a protestar toda semana em frente ao parlamento, na Suécia, contra a falta de ação dos líderes mundiais e empresas no combate à crise climática. A  ação ganhou visibilidade pelas redes sociais, viralizou e o movimento Sextas-Feiras pelo Futuro ou Fridays For Future, começou a ganhar força com o ativismo jovem em todo o mundo. No Brasil, o movimento também ganhou representantes através do Fridays For Future Brasil e de muitos outros grupos que têm se mobilizado.

Estudos afirmam que o aquecimento global precisa ser mantido em 1,5ºC até o ano 2100. No entanto, a menos que outras ações sejam tomadas, o planeta ainda pode aquecer mais de 2ºC até o final deste século. Se nada for feito, os cientistas acreditam que o aquecimento global pode ultrapassar os 4ºC, levando a ondas de calor devastadoras, milhões perdendo suas casas devido à elevação do nível do mar e perda irreversível de espécies vegetais e animais.

Da Redação 
Com Assessoria 

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48