quinta, 30 de junho de 2022
SIGA-NOS

O que se sabe sobre a morte do ex-vereador brasileiro em Paris



Publicado em sábado, junho 4, 2022 · Comentar 

Ex-vereador brasileiro encontrado morto no próprio apartamento em Paris era fluente em 5 idiomas e tinha empresa na França 

Foto Reprodução

O ex-presidente da Câmara de Vereadores de Arauá (SE) Wagner Santos Silva foi encontrado morto no próprio apartamento em Paris, na França. O político de 42 anos morreu no domingo (29), mas a informação foi confirmada por sua família apenas na manhã desta quarta-feira (1º).

Segundo a imprensa francesa, o brasileiro tinha um ferimento de arma branca em seu tórax. A polícia local acredita que a morte de Wagner tenha sido um assassinato. O principal suspeito, o homem que dividia o apartamento com o ex-vereador, já foi detido pelas autoridades.

Diante da morte de Wagner, seus parentes já deram início aos procedimentos para trazer o corpo para Sergipe. O processo, no entanto, deve demorar, já que o cadáver só pode ser liberado entre 8 a 15 dias após o final da investigação.

Aos familiares do político, o Consulado do Brasil na França confirmou a informação que o suspeito já está detido. Outros detalhes do crime, no entanto, não foram divulgados para a imprensa, a fim de mantê-los sigilosos até o fim da investigação.

Em nota oficial publicada nas redes sociais, a Câmara Municipal de Arauá lamentou a morte do ex-vereador. “Um grande homem público que fez história no Legislativo Municipal”, afirmou o órgão. “Ser humano que fará falta e deixará saudade em todos que tiveram o privilégio de conhecê-lo. A Câmara Municipal de Vereadores manifesta sinceros sentimentos a todos os familiares e amigos.”

Nascido em Salvador, aos 16 anos foi para o Rio de Janeiro, onde trabalhou como serviços gerais em hospitais e serviu o exército. Em seguida foi para Europa, onde atuou como garçom.

Ele tinha o ensino médio completo e era fluente em vários idiomas, como inglês, francês, espanhol e grego. Além disso, possuía cidadania francesa.

Wagner iniciou sua carreira política em Sergipe, onde foi vereador entre 2017 e 2020, e presidente da Câmara de Arauá. Wagner concorreu ao cargo de prefeito da cidade em 2020, pelo Partido Liberal (PL-SE). Após perder as eleições, voltou para a França, onde era sócio de uma empresa de reformas de residência.

“Um luto muito dolorido”
Ao Uol, a jornalista Ana Alves, amiga pessoal de Wagner, narrou como recebeu a notícia da tragédia. “Estou afônica, rouca. Com o susto da morte de Wagner, até minha voz foi afetada”, narrou ela, que publicou uma homenagem ao amigo nas redes sociais.

“Os amigos estão muito abatidos, um luto muito dolorido”, afirmou Ana. “Wagner era um ser humano do bem, coração maravilhoso, homem justo. Além de muito trabalhador, competente, tinha, na boa política, muito futuro. Amor e generosidade definem ele. Elegante, educado, dono de uma aura boa, linda.”

Afirmando que conversou com Wagner há cerca de sete dias, Ana diz acreditar que, em breve, a Embaixada Brasileira deve entrar no caso. “Ele já tinha sido cidadão europeu. Na ligação, me disse que estava muito feliz e viria em agosto para Sergipe”, contou a jornalista.

“Ontem li nossas conversas, guardei todas elas. Até os áudios dele”, narrou Ana, pontuando que torce para que o processo de trazer o corpo de Wagner para o Brasil seja rápido. “Espero não demore muito. Quero me despedir dele”, finalizou.

Da Redação 
Com Uol e G1

 

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48