quarta, 04 de agosto de 2021
SIGA-NOS

Força-tarefa faz buscas em nova área à procura de Lázaro Barbosa, suspeito de chacina em Ceilândia, e muda base de comando



Publicado em quinta-feira, junho 17, 2021 · Comentar 

A força-tarefa com mais de 200 policiais faz buscas em nova área, na manhã desta quinta-feira (17), a procura de Lázaro Barbosa, de 32 anos, suspeito de chacina em Ceilândia. A região fica em frente ao posto de comando da polícia, no distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás.

Três helicópteros sobrevoam a região em busca do suspeito, que está fugindo da polícia há nove dias. Equipes especializadas das polícias Civil e Militar também estão por terra a procura de Lázaro.

A área onde ocorre a operação está dentro do perímetro de 10km delimitada pela polícia. A região abrange Cocalzinho de Goiás e os distritos de Edilândia e Girassol. Não é possível delimitar o quanto dessa área já foi vasculhada, pois as equipes se espalham por vários pontos e retornam a locais já patrulhados caso haja novas suspeitas do foragido.

Mudança de base

O posto de comando está sendo transferido pela segunda vez. Na manhã desta quinta-feira, a transferência será para uma escola do distrito de Girassol. A Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP) explicou que a mudança é para ter uma melhor estrutura para as equipes que trabalham na operação.

O primeiro local de concentração foi em um posto de combustíveis às margens da BR-070, no distrito de Edilândia. Na quarta-feira, a base foi montada em um batalhão da PM em Girassol, a cerca de 20 km. Segundo a SSP, as alterações acontecem para melhorar a comunicação de telefone e internet entre as equipes.

A fuga

Lázaro Barbosa está fugindo de uma força-tarefa de mais de 200 policiais há nove dias pela região goiana que fica no Entorno do Distrito Federal. Leia mais abaixo detalhes sobre a fuga.

A polícia usa cães, drones e helicópteros na busca ao suspeito. Trinta e quatro propriedades rurais em Goiás estão ocupadas pelas forças de segurança para evitar ação do homem.

Em um encontro, na terça-feira (15), entre Lázaro e policiais, houve confronto e dois militares foram atingidos de raspão. Eles foram levados conscientes para hospitais de Goiás.

Resgate em rio de família feita refém por Lázaro em Goiás — Foto: Reprodução/TV AnhangueraResgate em rio de família feita refém por Lázaro em Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Os homicídios contra a família do DF foram cometidos na quarta-feira (9). Ele é suspeito de assaltar a fazenda e matar a tiros e a facadas os integrantes da família:

  • Cláudio Vidal, de 48 anos – pai e empresário;
  • Gustavo Vidal, de 21 anos – filho do casal;
  • Carlos Eduardo Vidal, de 15 anos – filho do casal;
  • Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos – a mulher do empresário foi sequestrada e morta. O corpo foi achado no sábado (12), em uma mata próxima à casa da família.
Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, está desaparecida — Foto: TV Globo / Reprodução
Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, está desaparecida — Foto: TV Globo / Reprodução

4 grandes caçadas a criminosos

De acordo com a Polícia Militar, ele invadiu chácaras, atirou em três pessoas, das quais duas estão em estado grave, furtou um carro e o abandonou na BR-070.

De acordo com o porta-voz da polícia do DF, Michello Bueno, ele conhece bem a região e que, por ser caçador, se esconde com facilidade.

“Ele foi criado nessa região. Conhece cada detalhe. Além disso, ele é um caçador. Então, ele se esconde, dorme em cima das árvores. É um cara que tem uma expertise. Não é um bandido comum”, disse o porta-voz.

Imagens de uma câmera de vigilância, divulgadas nesta terça, mostraram o suspeito se escondendo da polícia em um galpão de uma chácara em Cocalzinho de Goiás (veja abaixo).

Testemunhas relataram que ele dormiu no local e não ameaçou ninguém.

Vídeo mostra o suspeito de matar família escondido em galpão de chácara

Da redação/ Com G1

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48