sábado, 31 de julho de 2021
SIGA-NOS

Criança é encontrada morta em casa com sinais de estrangulamento e pai é principal suspeito



Publicado em segunda-feira, junho 14, 2021 · Comentar 

Uma menina de 5 anos foi encontrada morta com sinais de estrangulamento em Guaramirim, no Norte de Santa Catarina, na manhã de sábado (12). Os bombeiros encontraram na casa de um condomínio a vítima sem vida e com um inchaço na região do pescoço. Segundo o delegado Paulo Venera, que investiga o caso, o pai da vítima, de 39 anos, confessou o assassinato.

O caso ocorreu no bairro Escolinha, por volta do meio-dia. Segundo a Polícia Civil, o crime teria sido motivado pela separação dos pais, que ocorreu há cinco meses.

A mãe da vítima registrou um boletim de ocorrência contra o homem em março deste ano. Segundo a polícia, ela informou que ele ameaçou matar a filha e também se matar. Não foram revelados mais detalhes sobre essa ocorrência.

O pai da menina estava no local do crime e tinha ferimentos provocados por uma faca na região do pescoço e no pulso. De acordo com a Polícia Militar, ele foi encontrado ao lado da filha em cima da cama.

A faca foi encontrada na residência com marcas de sangue. Ainda segundo a PM, ele foi levado para o hospital em Jaraguá do Sul. Ele recebeu atendimento médico e foi levado até a delegacia, onde prestou depoimento.

O corpo de Evylin Vitória Modrok foi enterrado durante a tarde deste domingo (13) no cemitério municipal de Guaramirim.

Roupa apreendida pela polícia que teria sido utilizada no crime — Foto: Polícia Militar/ Divulgação

Roupa apreendida pela polícia que teria sido utilizada no crime — Foto: Polícia Militar/ Divulgação

Investigação

Para o delegado, o pai da criança disse que cometeu o ato utilizando uma camiseta, porque não aguentava mais ver a menina sofrendo com o fim do relacionamento. Ele foi autuado por homicídio qualificado.

Inicialmente, o homem disse aos policiais que a casa teria sido invadida durante a madrugada de sábado e o atacou. Ele teria desmaiado e quando acordou teria visto a menina morta.

“Com base no exame da cena do evento e nas lesões verificadas na vítima fatal, realizadas juntamente com os peritos criminais e médico legista, concluiu-se que a versão do pai da criança não tinha fundamento fático probatório”, explicou o delegado Venera.

Depois, o homem confessou o crime durante o interrogatório à polícia e justificou a motivação. “Ele apresentava sentimentos de arrependimento, mas ao mesmo tempo parecia não estar tão abalado com o fato que cometeu, tentando a todo tempo justificar sua ação dizendo que o sofrimento da criança era muito grande”, disse.

Da Redação 
Com G1

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48