quarta, 04 de agosto de 2021
SIGA-NOS

Jornalista afirma ter sido ameaçado e sugere que pode ter sido após críticas a gestão de Sapé/PB



Publicado em domingo, junho 13, 2021 · Comentar 

O jornalista Jorge Galdino da cidade de Sapé tornou público através de publicação em seu blog uma possível ameaça que recebeu na tarde deste sábado (12) com uma pichação no muro de sua residência.

Segundo a denuncia a pichação continha os seguintes dizeres: “OKD MZR SE LIGA” . “Nunca me deparei com traficantes, assassinos ou qualquer marginal dessa qualidade, nem a área policial eu gosto de abordar, então só me resta apontar para a área onde atuo e que se incomoda com meu trabalho e que agora está me alertando para eu “ficar ligado”.”, escreveu o jornalista sugerindo que as ameaças pode está vindo de setores políticos ligados a gestão municipal de Sapé, já que o citado jornalista tem tornado público uma série de irregularidades da administração municipal local.

Apesar das ameaças, Jorge Galdino garantiu que não se renderá a pressões  e que continuará a fazer seu trabalho investigativo. (Veja aqui a postagem do jornalista no blog GPS).

Brasil se torna um dos países mais perigoso para atividade jornalística – O Brasil aparece pelo décimo ano consecutivo no Índice Global de Impunidade do Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ, na sigla em inglês). Publicado no dia 28 de outubro do ano passado, o relatório aponta os países em que jornalistas são mortos e os assassinatos não são julgados e punidos pela lei. O país ocupa a oitava posição no ranking. Em 2019, estava na nona.

A mudança na lista indica retrocesso para o Brasil. O índice do CPJ considera a proporção de assassinatos de jornalistas não solucionados em relação à população de cada país durante 10 anos – entre 01.set.2010 e 31.ago.2020. Em números absolutos, o Brasil ocupa a sexta posição, junto ao Paquistão, com 15 assassinatos não resolvidos. A Somália e o México são os países em que mais assassinos estão impunes (26).

Apenas nações com cinco ou mais casos não resolvidos são incluídos no levantamento. No período avaliado, 277 jornalistas foram assassinados por seu trabalho em todo o mundo. Em 83% deles, nenhum perpetrador foi processado e condenado. A taxa de impunidade mundial em 2019 era de 86%. 

Da Redação 
Do ExpressoPB

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48