quinta, 03 de dezembro de 2020
SIGA-NOS

Após sete anos preso, mesmo inocentado de acusação, homem consegue liberdade na Paraíba: “hoje estou abraçando minha filha, minha família”



Publicado em sexta-feira, julho 31, 2020 · Comentar 

Sete anos após ser inocentando do crime de latrocínio, mas nunca ter sido comunicado da decisão, Eridan Constantino Monteiro, 31 anos, conseguiu ser solto da penitenciária Doutor Romeu Gonçalves Abrantes (PB1 e PB2), no bairro de Jacarapé, em João Pessoa, na manhã desta sexta-feira (31). A mãe e o padrasto acompanharam a saída do filho e não aguentaram a emoção: “Vai ter muito abraço e cheiro”.

Eridan Constantino Monteiro foi preso pelo crime de latrocínio em 2011, segundo contou ele ao ClickPB. Na época tinha 22 anos de idade. Dois anos após (2013), recebeu a sentença de sua inocência, o que o colocaria em liberdade, mas nunca foi comunicado da decisão que deveria ter sido feita pelo juiz da época, responsável pela Vara de Execuções Penais da Paraíba. Sete anos se passaram e só agora em julho de 2020, Eridan sem saber de que deveria ter ganho a liberdade, saiu do presídio.

Após os advogados criminalistas Thiago Melo e Joallyson Resende revisarem o processo, encontraram que o cliente já havia sido absolvido do crime. “Eu conheci Eridan lá no presídio onde eu tenho outros clientes e eles me pediram para ver o processo dele. Ele nos contratou para fazer a revisão criminal e aí verificamos que ele era para ter sido solto desde 2013 porque tinha sido absolvido”, comentou Thiago Melo, ao falar que na revisão criminal se verifica se o preso tem possibilidade de ter uma redução da pena ou se houve algum tipo de injustiça durante o processo.

Com a liberdade em mãos, Eridan contou que o futuro ainda é incerto. “Depois que você vai para a cadeia e sai, fica difícil conseguir um emprego. Ninguém acredita em você. Não sei o que vou fazer daqui para frente, mas estou feliz por estar solto”, revelou, comentando que antes de ser preso trabalhava como bitoneiro. Casado e pai de uma menina de 14 anos, ressaltou que agora só sente felicidade. “Graças a Deus deu tudo certo. Foi uma maravilha. Não tem explicação o que sinto. Hoje estou abraçando minha filha, minha família”, frisou.

O advogado Thiago Melo comentou ainda que ao verificar que seu cliente já deveria ter sido solto, entrou com um pedido de habeas corpus e nessa quinta-feira (30), o juiz aceitou o pedido. Eridan, a partir do trabalho de seus advogados (Thiago e Joallyson) pretendem processar o Estado pelo erro cometido. A felicidade não foi só do ex-detento, mas também do seu advogado. “Eu sempre digo que a parte do direito a criminal é a mais gratificante porque a gente lhe dar com a liberdade das pessoas”, ressaltou.

Eridan foi inocentado em 2013 pela Justiça, expedido um alvará de soltura na época, mas ele permaneceu preso até a manhã desta sexta-feira (31). “Foi um irmão para mim. O que ele fez por mim, ninguém fez. Tem muita gente lá no presídio que está preso inocente ou passando do seu direito”, finalizou.

Da redação/ Com Click PB

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48