quinta, 03 de dezembro de 2020
SIGA-NOS

A 100 dias das eleições nos EUA, vantagem de Biden sobre Trump se acentua



Publicado em segunda-feira, julho 27, 2020 · Comentar 

Segundo as pesquisas de opinião, a diferença entre os dois candidatos à eleição presidencial americana de 3 de novembro é agora de mais de 8 pontos.

A 100 dias da votação, Joe Biden tem motivos para sorrir. Segundo o resultado acumulado de uma série de sondagens, o democrata tem em média 8,6% a mais do que Trump nas intenções de voto dos americanos. Uma pesquisa da Universidade de Quinnipiac chega a indicar uma vantagem do ex-vice-presidente de 15%. O otimismo da campanha democrata vem também do fato de que, historicamente, nas últimas dez eleições presidenciais americanas, os candidatos que lideravam as pesquisas saíram vitoriosos das urnas. A única exceção foi Mikael Dukakis, em 1988, que perdeu para George Bush “pai”.

Mas não se pode esquecer que este ano de 2020 é particular. A crise do coronavírus impôs mudanças profundas na campanha eleitoral, impedindo a realização dos tradicionais comícios presenciais.

Resultados contestados?

A epidemia de Covid-19 também incita os eleitores a preferir o voto pelo correio, uma prática que é rejeitada categoricamente por Donald Trump. Segundo o presidente americano, o voto a distância é uma porta aberta às fraudes em massa. Já os democratas temem possíveis ingerências estrangeiras, principalmente da Rússia, China e Irã.

A 100 dias da votação, um número cada vez maior de analistas fala em provável contestação do resultado. Há uma semana, em uma entrevista ao canal Fox News, Trump continuou a alimentar um clima de dúvida ao afirmar que somente em 3 de novembro, após a apuração dos votos, ele dirá se aceita o resultado das urnas. O bilionário republicano, em desvantagem em todas as pesquisas, teme uma derrota humilhante. Se as sondagens se confirmarem nas urnas, Trump será o primeiro presidente eleito para um único mandato em um quarto de século nos Estados Unidos.

País dividido

A eleição presidencial de 3 de novembro se anuncia extraordinariamente tensa. O país está dividido, inquieto e fragilizado pela pandemia que já deixou mais de 140.000. O ocupante da Casa Branca é muito criticado pela gestão da crise, que teria provocado a queda de sua popularidade. Uma pesquisa da ABC News aponta que dois terços dos americanos desaprovam a reação do presidente ao coronavírus.

No campo de batalha, Donald Trump, de 74 anos, garante que Joe Biden, de 77, é “uma marionete” da esquerda radical que quer abolir o “American Way of Life”. O candidato democrata fala de “uma batalha pela alma americana”.

Da redação/ Com UOL

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48