sábado, 30 de maio de 2020
SIGA-NOS

Fernández alerta Uruguai e Chile sobre pandemia no Brasil: “risco à região”



Publicado em quinta-feira, maio 7, 2020 · Comentar 

O presidente da Argentina , Alberto Fernández, voltou a mostrar preocupação com a situação da pandemia da Covid-19 no Brasil. O mandatário argentino afirmou que tem conversado com o representante dos países vizinhos sobre os riscos que o Brasil pode trazer á região. “Já falei com Piñera (presidente do Chile) e com Lacalle (presidente do Uruguai). É claro que o Brasil representa um risco”, disse Fernández.

Desde o início da pandemia, Brasil e Argentina divergem no trato à Covid-19. Enquanto Brasil pratica modelo moderado de isolamento, Argentina decretou quarentena compulsória e tem fronteiras fechadas desde o dia 20 de março, quando o país contabilizava 128 casos e 3 mortes. Na mesma epoca, o Brasil contava com 4 mortes. Hoje, são 8.591, enquanto país de Alberto Fernandez registra apenas 273 vítimas fatais.

Apesar de questionado por setores da economia e parte da população devido o ao modelo rígido de isolamento, Fernández tem rebatido dizendo que da morte não se volta, mas a economia se recupera. No último dia 30, Fernández declarou: “Prefiro 10% a mais de pobres do que 100 mil mortos pelo coronavírus na Argentina.”

Em sua última entrevista, o chefe de estado Argentino criticou fortemente a estratégia de Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia no Brasil. “Eu não entendo como (o Brasil) age com tanta irresponsabilidade”, disse o presidente. “O Brasil faz fronteira com toda a América do Sul, menos com Chile e Equador. Na Argentina, entram muitos caminhões brasileiros que vêm de São Paulo, que é o lugar mais infectado do Brasil.” Ele já havia comentado em outra situação que os Brasileiros não estão entendendo a dimensão real do problemas.

A preocupação também é compartilhada por outros vizinhos. Na terça-feira (05), Luis Lacalle Pou, presidente do  Uruguai, reforçou o controle sanitário na fronteira com o Brasil. “O governo do Uruguai está preocupado com a situação em algumas cidades do lado brasileiro”, disse Álvaro Delgado, secretário da presidência.

Paraguai também adotou medidas parecidas. Segundo o governo, 85% dos 2.810 paraguaios que voltaram ao país após o início da pandemia vieram do Brasil e foram responsáveis pela maior parte da disseminação da covid-19 no país.

Da Redação
Com IG

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48