quarta, 03 de junho de 2020
SIGA-NOS

TRAGÉDIA DE SAPÉ: Advogado diz que laudo afasta tese de legítima defesa de empresária e aponta para execução



Publicado em domingo, abril 19, 2020 · Comentar 

A conclusão do Exame Tanatoscópico retirado do laudo pericial do corpo do empresário Helton Pessoa, 45 anos, assassinato no último dia 10, em residência na Fazenda Zumbi, na Zona Rural de Sapé, será conclusivo nas investigações do caso, que apontam a empresária e esposa da vítima, Taciana Ribeiro Coutinho, como autora pelo crime.

Em contato com o Portal WSCOM, neste sábado (18), o advogado Daniel Alisson, contratado pela família da vítima para atuar como assistente de acusação, avaliou que o exame afasta completamente a tese de legítima defesa levantada pela acusada. A reportagem tentou contato com o advogado de defesa, Genival Veloso, mas não conseguiu obter êxito até o fechamento desta matéria.

O advogado Daniel Alisson revelou que recebeu o resultado da conclusão do laudo pericial com surpresa. Segundo ele, a aferição de que houve um disparo de arma de fogo na cabeça da vítima denota que Helton Pessoa ‘foi executado friamente’.

“Horas após a morte, devido a forma como tudo ocorreu, e da demora na comunicação do crime, não tive condição de falar com a médica legista que averiguou o corpo, porém, me chamou a atenção, já naquele momento, uma faixa na cabeça de Helton. Ficou comprovado [com o laudo] que não foram apenas tiros nos membros inferiores e próximo da genitália dele, houve um disparo na cabeça, e isso afasta completamente a tese de legítima defesa da acusada”, comentou o advogado, que complementou: “caracteriza-se como execução, com um disparo de longa distância, enquanto ele tomava banho, sem chance alguma de defesa”.

Segundo o laudo traumatológico do  IPC, Taciana Ribeiro, esposa e acusada pelo crime, relatou “que foi agredida fisicamente pelo marido, que lhe deu socos, apertões e empurrão contra a parede, fato ocorrido por volta das 15h-16h, no interior de sua residência”. O documento conclui que a empresária apresentava hematomas leves, do tipo “equimoses lineares”, ou seja, lesões subcutâneas do tipo vermelho ou arroxeada no corpo.

CENA DO CRIME

A expectativa agora é pela conclusão, pelo IPC, do laudo pericial da cena onde ocorreu o assassinato. As informações contidas na análise conceitual e levantamento do local do crime, contendo os vestígios e indícios, serão fundamentais para o encerramento da fase de inquérito policial. A expectativa é que a divulgação ocorra na próxima semana.

O advogado Daniel Alisson afirmou que é preciso aguardar a conclusão do laudo com este levantamento para poder chegar a uma melhor definição sobre o que, de fato, aconteceu. No entanto, ele acredita na possibilidade de modificação da cena do crime, devido à demora na comunicação às autoridades policiais sobre a ocorrência do crime.

“Acredito nessa possibilidade, pois, a fazenda fica relativamente próxima da cidade, entre 5 km a 10 km de Sapé, então, porque só quatro horas depois da ocorrência houve publicidade dos fatos? Não tiveram [os familiares de Taciana] nem consideração de comunicar o ocorrido à família de Helton, que ficou sabendo por terceiros, por meio  de grupos de conversa do WhatsApp. Você demorar essa comunicação em até 60 minutos é aceitável, agora tanto tempo depois? Dava suficiente para chegar à cidade”, opinou.

Da Redação 
Do ExpressoPB

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48