sábado, 06 de junho de 2020
SIGA-NOS

ENTREVISTA/ Prefeita de Borborema exige respeito a seu direito de se candidatar a reeleição



Publicado em segunda-feira, março 9, 2020 · Comentar 

ENTREVISTA

Gilene Cândido

“Toda pessoa que está apta pela justiça eleitoral tem o livre arbítrio de se candidatar; o que eu queria que as pessoas respeitassem também o meu direito de ser”

Um olhar atento, um certo silêncio até que algum repórter a chame para falar. É visível o desempenho da prefeita de Borborema, Gilene Cândido, quando fala com a imprensa. Depois de quase quatro anos à frente da gestão borboremense, Gilene fala mais e melhor. Na tarde da terça-feira, dia 04, Gilene esteve no lançamento da Rota Cultural Raízes do Brejo, em Duas Estradas. Em entrevista a EXPRESSO, a prefeita falou sobre a situação administrativa de seu município, mas também tratou sobre a perseguição que vem sofrendo para não concorrer à reeleição. A gestora chegou a dizer que dias antes de anunciar sua posição nas eleições deste ano teve sua granja incendiada: “eu iria dar uma posição sobre minha candidatura e o que aconteceu foi que incendiaram o meu sítio e isso foi chocante”, disse indignada. Veja a íntegra da entrevista a seguir:

RE – A sua gestão tem sido bem avaliada pela população. Qual a receita que a senhora tem adotado?

Gilene Cândido  – Humildade acima de tudo e união, focando em políticas públicas principalmente, procurando saber o que a população anseia, pontuando e atendendo essas necessidades; eu sei que 100% não fazemos, porque nem Deus agradou a todo mundo. Enfrentamos grandes desafios, o foco maior hoje não é nem aprovação do governo e sim adversidade política. Mas, diante das dificuldades nossa gestão está dando conta do recado e se Deus nos permitiu essa vitória estamos fazendo valer com nosso trabalho e responsabilidade e o modelo de gestão da boa política e políticas públicas para o nosso povo trabalhando no coletivo por uma população carente e uma cidade em desenvolvimento.

RE – Apesar da boa avaliação, seu vice-prefeito anunciou um rompimento. Como a senhora viu esse rompimento?

Gilene CândidoEu disse em novembro que respeitava não só o vice-prefeito, mas toda pessoa que está apta pela justiça eleitoral tem o livre árbitro de se candidatar; o que eu queria que as pessoas respeitassem também o meu direito de ser, porque durante esse tempo de gestão esse direito é quase todos os dias boicotado de modo feio e isso me incomoda, mais nem por isso, por essas picuinhas eu deixo de fazer gestão e elevar o nome do município. Pra você ter uma ideia, no início de fevereiro eu iria dar uma posição sobre minha candidatura e o que aconteceu foi que incendiaram o meu sítio e isso foi chocante. Fiquei muito abalada emocionalmente e tive também problema de saúde com meu joelho e o médico pediu repouso. Mais darei essa resposta a população se serei ou não candidata à reeleição. 

RE – Nos últimos dias a imprensa da região especula que a senhora não será candidata à reeleição. Isso procede?

Gilene CândidoAté a próxima semana darei essa resposta que todo mundo quer saber; tivemos um diálogo com a oposição e disse que seguimos uma linha de gestão. Eu estou, modesta parte, fazendo uma gestão que não compromete o município a crise que hoje os municípios passam apesar das adversidades, não deixamos de fazer com que as coisas aconteçam. O nosso município sempre em destaque em potencialidade é tanto que participamos de duas Rotas Raízes do Brejo e Circuito Junino de forma integrada trazendo com que a positividade seja maior que qualquer empecilho.

RE – A política é ambiente majoritariamente dominado por homens. Como é o fato de ser mulher e está no ambiente como esse? 

Gilene CândidoMuitas vezes por ser mulher e mãe tenho uma sensibilidade maior, mas dentro do próprio ambiente político sentimos essa discriminação de achar que mulher não é pra tá em cargos de destaque e é sim, mulher pode e deve tá onde ela quiser, apesar de muitos não aceitarem isso.

RE – Qual a mensagem que a senhora deixaria para as mulheres paraibanas?

Gilene CândidoEu digo as mulheres paraibanas, que somos fortes, somos guerreiras, não fugimos da luta e mando meu abraço a cada uma, acima de tudo quero que os homens percebam que nós temos a sensibilidade e nos respeitem, pois somos fortes e pessoas do bem.

Da Redação 
Do ExpressoPB/Editoria REVISTA EXPRESSO

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48