terça, 19 de novembro de 2019
SIGA-NOS

Empresa investigada na Xeque-Mate recebeu mais de R$ 180 mil da gestão de Gurinhém em 2017



Publicado em quinta-feira, outubro 10, 2019 · Comentar 

A Polícia Federal e o Ministério Público da Paraíba, miram as prefeituras que adquiriram remédios na empresa Almed, suspeita de fraudar licitações em todo estado.

Com a 5ª fase da Operação Xeque-Mate, os órgãos de fiscalização encontram evidências de que pelo menos seis prefeituras da Paraíba podem estar envolvidas com o esquema: Mamanguape, Gurinhem, Pedra Lavrada, Conceição, Itaporanga e São Vicente do Seridó.

Na Prefeitura de Gurinhém, a Almed faturou em 2017 o valor de R$ 180.076, 17, segundo dados do Sagres do Tribunal de Contas do Estado. No mesmo sagres é possível observar que a prefeitura empenhou R$ 242. 113,73 no mesmo ano.

Os órgãos de fiscalização não confirmaram irregularidades nessas prefeituras, mas levantaram suspeitas sob pagamentos realizados.

Na quarta fase da Operação Xeque-Mate, anterior a realizada nesta semana, que aconteceu em maio de 2019, cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos, em João Pessoa, na sede do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), e Campina Grande. Nesta fase, a operação apurou a possível cooptação do conselheiro do TCE, Fernando Catão, para, em benefício do empresário Roberto Santiago, preso na terceira fase da Xeque-Mate, impedir a construção do Shopping Pátio Intermares, no município de Cabedelo.

Da Redação 
Do ExpressoPB

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48