quinta, 12 de dezembro de 2019
SIGA-NOS

Emancipação de Areia tem 201 anos



Publicado em terça-feira, junho 4, 2019 · Comentar 

Ninguém mais autorizado a falar sobre a cidade de  Areia do que seu historiador mor, Horácio de Almeida. Passo-lhe a palavra: “Areia já foi o maior município do brejo, de cujo território faziam parte integrante os atuais municípios de Bananeiras, Guarabira, Cuité, Alagoa Grande, Pilões, Serraria e Pedra Lavrada. Com o tempo, seu território foi sendo mutilado a ponto de ficar reduzido a uma nesga de terra nos taludes da Borborema. Bananeiras, desmembrou-se em 1833, arrastando consigo os territórios de Guarabira, Cuité, Pedra Lavrada; Alagoa Grande em 1864 e, em seguida, Pilões, 1883, que também levou Serraria”.

O texto se refere ao esfacelamento do território areiense, criando-se  vilas emancipadas, como dispunha à época os editos do Conselho do Governo. Daí, porque, tenho reclamado dos vereadores de Bananeiras que, até hoje, não corrigiram o equívoco do prefeito José Francisco de Almeida em 1979 quando comemorou o centenário da emancipação política de sua cidade. Lêdo engano. A emancipação política de Bananeiras ocorreu em 1833 quando houve seu desmembramento de Areia “arrastando” Guarabira e  Araruna, para usar a expressão de Horácio. A data que se comemora (16 de outubro de 1879) reporta à elevação da Vila de Bananeiras à categoria de cidade.

Por sua vez, Guarabira, que separou-se de Bananeiras pela Lei Provincial de 17 de abril de 1837, elevando-se à categoria de Vila e tornando-se emancipada, comemora erroneamente o que chama de emancipação política. A data de 26 de novembro de 1887 se refere à elevação à categoria de cidade. A Vila de Independência já era emancipada desde 1837, para ser bem explicito.

Defendo que o Instituto Histórico constitua uma comissão especial para restaurar e fixar, em definitivo, as datas da efetiva elevação dos nossos povoados à categoria de Vila, quando adquiriram a sua independência, com comarca, vereadores e todas as demais instituições que hoje somente são creditadas às cidades.

Já tentei modificar as datas históricas das cidades aludidas, fazendo gestões junto aos seus poderes constituídos. De repente, surge neste mês de maio, no último dia 18, as festividades comemorativas da emancipação política de Areia. Identifico o mesmo equívoco. Não há de se falar em emancipação política de Areia em referência ao 18 de maio  de 1846, data em que a Vila de Areia foi elevada à categoria de cidade. Ademais, comemora-se 163 anos de emancipação, dizem as postagens na rede social e na imprensa. Ora, Bananeiras que é filha de Areia já está somando 186 anos de vila independente. Como a filha pode ter mais idade que a mãe?

Os que se interessam pela história e, notadamente, os filhos dessa simpática cidade do brejo cuidem de corrigir essa referência que, data vênia, considero equivocada. A data da emancipação política de Areia é 30 de agosto de 1818. O município, tem, portanto, 201 anos de emancipação política, quando saiu “das ilhargas de Mamanguape”. Que me permitam a correção.

Ramalho Leite
Jornalista/Ex-Deputado – Colunista

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48