quinta, 15 de novembro de 2018
SIGA-NOS

Quando os ‘fins justificam os meios’: Gordo e Marcos juntos no mesmo palanque



Publicado em domingo, setembro 16, 2018 · Comentar 

A manhã ensolarada de 15 de setembro de 2018 pode ser considerada histórica na política recente de Mari: o dia em que os ex-prefeitos Adinaldo Pontes e Marcos Martins caminham lado a lado, sobem no mesmo palanque e compartilham do mesmo projeto político.

Há 20 anos atrás, qual eleitor de Mari – seja de Adinaldo ou de Marcos – imaginaria uma cena como esta, registrada pelas câmeras dos celulares de quem acompanhou a visita do candidato ao Governo do Estado João Azevedo a cidade.

Não estou a criticar a posição política de Adinaldo, tão pouco a de Marcos, mas estou refletindo o dinamismo dela e me questionando: “como se sente o eleitor que durante décadas brigaram, arrumaram inimizades, desavenças intrigas entre parentes, familiares e amigos fruto da disputa provocada e incentivada por eles?”.

Adinaldo ‘adestrou’ seus eleitores a repugnar Marcos, assim como Marcos fez o mesmo, este inclusive com mais intensidade e agressividade, a ponto de na eleição de 2004 quase ter ocorrido uma tragédia envolvendo o próprio sobrinho de Gordo. O episódio a que me refiro ficou conhecido como “uma noite em Gendiroba”, virando letra de música que embalou as campanhas eleitorais de Martins contra Pontes.

E Dona Vera Pontes? Vítima da mais sórdida, escrachada e vergonhosa campanha de difamação e agressão gratuita patrocinada pelo ex-prefeito e seus aliados chegando a acusá-la de ‘arrombar os cofres públicos’ em mais de R$ 1 milhão, sem nunca provar o que disseram, mas com o único intuito de eliminar a liderança e o prestígio dos Pontes.

Certamente alguém há de questionar: “mas Antonio já foi aliado de Marcos e vice versa ou, Adinaldo já foi aliado de Antonio”. É verdade, mas a relação política entre Marcos Martins e Adinaldo Pontes sempre foi considerada ‘bélica’ [ conflito armado, uma guerra, um combate, uma luta, uma batalha, um confronto ou uma briga]. Foram 22 anos de intenso combate entre o casal Pontes e os Martins, só vindo a suavizar os embates a partir do segundo turno da eleição de 2014, tendo se cumprido a profecia que corria a boca miúda nos recantos da cidade quadro anos depois, exatamente na eleição de 2018. 

Há um adágio popular que afirma que “os fins justificam os meios”,  Gordo e Marcos encontraram um inimigo comum, ambos entendem que este deve sua história política a eles, daí esquecem o passado para combatê-lo. 

A cena tétrica deste sábado pode ser o início de um novo momento político que Mari viverá. O tempo dirá!

Em tempo: Após a publicação do artigo, na noite deste sábado (15), logo muitas observações foram feitas a respeito dele e vale o registro do atento leitor Zezinho do Evangelho: “Acho meu caro que você ainda esqueceu um fato que aconteceu nesses anos de briga política dos dois grupos, foi o mandato de vereadora, que se não estou esquecido, tomaram da ex-prefeita. Talvez seja isso que ela ainda lembra ai não subiu ainda no mesmo palanque”., escreveu.

De fato, a relação bélica Martins x Pontes ainda protagonizou o episódio em que a então vereadora Vera Pontes – eleita com mais de 600 votos em 2004, teve o seu mandato cassado no ano seguinte, fruto da articulação dos Martins para cumprir um acordo político com o suplente de vereador Silvan, após sua adesão ao governo.

Registro feito!

Toques da Coluna 

  • A ausência de Ricardo Coutinho na ‘Caravana do Trabalho’ em sua passagem em Mari causou grande estranheza no ninho girassol mariense;
  • Outra ausência percebida no carro oficial da caravana foi a da ex-prefeita Vera Pontes. A sua exposição no evento foi mínima;

Última… 

“Em política a comunhão de ódios é quase sempre a base das amizades” (Charles Tocqueville )

Marcos Sales
Contato com a coluna: @Salles_Marcos
Email: marcosexpresso@live.com

 

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48