quarta, 20 de junho de 2018
SIGA-NOS

O Marcos que condena AG por falta de repasse a MariPrev é o mesmo que admite: “nenhum gestor passa 100%”



Publicado em domingo, junho 3, 2018 · Comentar 

É inegável que tanto  a atual gestão quanto a gestão anterior não conseguiram repassar integralmente os 100% – patronal e pessoal – dos recursos devidos a autarquia municipal responsável para cuidar dos recursos dos servidores públicos aposentados e futuros.

Para quem ouviu os atuais mandatários da autarquia e o ex-prefeito Marcos Martins, pode tirar uma única conclusão desse embróglio todo: tanto a atual administração está em falta com a MariPrev como a administração passada.

Quem mais falou sobre o assunto foi o ex prefeito Marcos, que apesar de tentar tapar o sol com a peneira, não explica porque deixou de repassar as contribuições, aliás, chega a desqualificar provas, fica nervoso e parece querer responsabilizar a este colunista, o secretário Ramos e o secretário da Rádio Araçá, André Antonio de serem os responsáveis pela falta de repasse da autarquia, mesmo sem nunca ter sido gerida por eles.

Seria mais sensato – coisa que anda faltando ao ex prefeito – ele admitir – como já o fez – que faltou repassar os recursos de seu tempo, mas que a atual gestão pode parcelar e entregar ao Mariprev o que lhe é de direito. Pode até dizer que se a atual gestão não o fizer pode responder judicialmente, assim como poderá acontecer com ele.

Dizer mais que isso é balela, é enrolação e querer armar palanque político. O que não dar é para Marcos criminalizar a atual gestão de uma coisa que ele mesmo confessou na “entrevista”  a rádio Araçá FM que fez: não repassou integralmente as contribuições e o pior querer jogar para a imprensa a sua responsabilidade.

Este atento articulista mostra a seguir o momento exato em que o ex prefeito confessa que nenhum gestor consegue fazer o repasse integral, inclusive ele mesmo:

Vejam nobres leitores que apesar de admitir que deixou de repassar recursos para a autarquia em sua gestão, o sr. Marcos Martins insiste em querer tratar de um período (2017) em que o mesmo não tinha mais comando sob a autarquia ou o município e isso se chama jogo político.

Este ansioso articulista espera que a atual gestão da MariPrev venha a público mostrar os números reais da situação da autarquia sob pena de está sob forte suspeita de que há um acordo de proteção entre o atual e a anterior gestora. Fiquemos no aguardo!

 

 

Marcos Sales
Contato com a coluna: @Salles_Marcos
Email: marcosexpresso@live.com

 

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48