terça, 21 de agosto de 2018
SIGA-NOS

CAPA: “Tem milhões e milhões de Lulas para andar por mim”



Publicado em domingo, maio 20, 2018 · Comentar 

“Tem milhões e milhões de Lulas para andar por mim”

Carregado nos braços do povo, Lula faz discurso histórico e se agiganta diante de seu algoz antes de ser levado ao carcere

A investida desesperada do juiz Sergio Moro em aprisionar o ex presidente Lula teve um efeito midiático contrário ao que esperava-se. Lula conseguiu inverter a lógica de derrotado para sair do episódio taxado pela mídia global como o grande líder popular do Brasil perseguido político e favorito na sucessão presidencial.

Os últimos momentos de Lula livre desde o final da tarde da quinta-feira  – 05 de abril de 2018 – até o início da noite do sábado – 07 de abril de 2018  – foi de muita tensão no país inteiro. Quando a imprensa noticiou que Moro tinha expedido mandado de prisão contra Lula, logo o ex presidente que encontrava-se no instituto que leva seu nome, dirigiu-se para o Sindicato dos Metalúrgico em São Bernardo do Campo onde refugiou-se.

Nas mídias sociais, mais precisamente no twitter a hastag #OcupaSaoBernardo atraiu milhares para a cidade berço da luta sindical no país. O suspense tomou conta do ambiente, a espera de uma fala de Lula, logo um carro de som se posicionou de frente ao sindicato, discursos inflamados, chagada de políticos e intensa movimentação tomava conta de São Bernardo. Horas mais tarde Lula aparece na janela do prédio é ovacionado pela multidão, mas nada de falar.

Na manhã da sexta-feira (06) a informação de que Lula não se entregaria, iria resistir deu outro clima a nação e a virgília em São Bernardo aumentava. Moro tinha dado prazo até as 17h da sexta-feira para que Lula se apresentasse em Curitiba.

Uma celebração no sábado (07) em homenagem aos 68 nos de Dona Marisa Letícia seria o fim da resistência, anunciava assessores do ex-presidente. E assim aconteceu. Foi na celebração o ápice de Lula, seus militantes e a nação brasileira.

Em um discurso que ficará para a história, Lula anunciou sua decisão de se entregar a PF, garantiu que irá provar sua inocência e foi sintomático em suas frases que mais pareciam profecias do que propriamente um discurso. “A morte de um combatente não para a revolução, eu não sou um ser humano, eu sou uma ideia… misturada com vocês”, disse.

Lula ironizou a grande mídia: “o tesão da Veja, da Globo é ver a minha fotografia preso, vão ter orgasmos múltiplos”, escrachou. Referindo-se aos juízes, foi ainda mais enfático: ” quem quiser julgar com base na opinião pública largue a toga e vá ser candidato!”.

“Não achem que tudo vai parar o dia em que o Lula tiver infarto, bobagem: meu coração baterá pelo coração de vocês”, voltou a profetizar.

Por fim agradeceu aos verdadeiros amigos. “Quando pego na mão de vocês ou beijo um de vocês, faço isso porque, quando eu era presidente, dizia que vou voltar pra onde vim e sei quem são meus amigos de verdade, os de gravatinha desapareceram; os que continuam são os que comiam rabada e frango com polenta comigo!”.

Aqueles dois dias o Brasil parou, enquanto Lula foi o assunto mais comentado no mundo nas redes sociais, na imprensa nacional e internacional, fatidicamente o nome do juiz Sérgio Moro apareceu no corpo de centenas de matérias.

Lula saiu do palco onde discursou nos braços do povo, ovacionado como um verdadeiro líder, cheio de força advinda da energia das ruas do pais e expressada na multidão que lhe escutava.

Já era início da noite quando saia do sindicato para se entregar e foi impedido por seus próprios apoiadores que exigiam que ele resistisse, mas no seu entendimento resistir era colocar o país em convulsão social e sua grandeza, mas uma vez lhe chamava para a responsabilidade. Depois de muito impasse conseguiu chegar ao carro da PF.

Por volta das 22h Luis Inácio Lula da Silva já esta em Curitiba, lá mais apoiadores seus lhe esperavam, foram reprimidos pela policia, mas não recuaram e montaram acampamento permanente onde encontram-se em resistência.

Nos próximos anos, esses episódios estarão sendo contados nas páginas dos livros de história nas escola desse país, EXPRESSO é testemunha desses acontecimentos e antecipa o futuro fazendo esse registro histórico.

Publicado na Edição Impressa nº 37
Abril/2018

 

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48