quarta, 19 de setembro de 2018
SIGA-NOS

Ataques simultâneos deixam sete mortos e quatro feridos em Fortaleza



Publicado em domingo, março 11, 2018 · Comentar 

A polícia do Ceará procura os criminosos que mataram sete pessoas e deixaram outras quatro feridas na sexta (9), em Fortaleza. Os ataques podem ter relação com o tráfico de drogas e a briga de torcidas.

O mesmo bairro, três endereços próximos, sete pessoas mortas. As execuções em série aconteceram no Benfica, bairro universitário, que fica próximo ao Centro de Fortaleza. Segundo a polícia, os ataques foram feitos por bandidos que estavam em carros diferentes. Um vídeo gravado pouco tempo antes mostra como estava a praça onde aconteceram os primeiros ataques.

No local, os criminosos mataram três pessoas. Perto da praça, minutos depois, bandidos em um outro carro também mataram três homens na sede da torcida uniformizada do Fortaleza. Durante a fuga, eles atiraram em mais duas pessoas: uma morreu.

A Secretaria de Segurança do Ceará investiga se há relação entre as mortes que aconteceram nas proximidades da sede da torcida uniformizada do Fortaleza e as que aconteceram na praça. Há duas linhas de investigação. Os crimes podem ter sido motivados por tráfico de drogas e briga de torcidas rivais.

“Foi algo bem direcionado, para vítimas direcionadas. Já na outra ocorrência, próximo à sede da TUF, já houve disparos aleatórios, sem vítimas precisamente definidas” diz André Costa, secretário de Segurança Pública – CE.

O Ceará vem enfrentando uma onda de violência. Em janeiro, uma outra chacina deixou 14 pessoas mortas, numa casa de forró na periferia de Fortaleza. E na cadeia pública de Itapagé, no norte do estado, uma briga entre facções rivais provocou a morte de dez presos.

Entre as sete vítimas da chacina de sexta (9), três tinham passagem pela polícia por roubo, posse de droga e associação criminosa. O filho de Antônio Carlos era um dos que não tinham antecedentes criminais. Carlos Vítor estava com a camisa do Fortaleza quando foi morto.

“Tinha um futurão o meu filho, com certeza. O problema era que ele gostava do Fortaleza. Só isso. Mas não é porque ele gostava que os caras têm que tirar a vida dele não”, lamenta o pai.

G1

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48