sábado, 18 de agosto de 2018
SIGA-NOS

Veja fotos: Já é 2018 em Nova Zelândia e Austrália



Publicado em domingo, dezembro 31, 2017 · Comentar 

Nova Zelândia e Austrália foram dois dos primeiros países a dar as boas-vindas ao ano novo. Por lá, a população já celebra a chegada de 2018 bem antes de Brasília e com muita festa. Mas a verdadeira estreia de 2018 foi de Samoa, uma pequena ilha do Pacífico. Lá, a meia-noite chegou quando ainda eram 08h na capital brasileira.

Em Auckland, na Nova Zelândia, meia tonelada de fogos de artifício foi lançada de um arranha-céu de quando o relógio bateu à meia-noite (às 09h de Brasília). As preparações começaram há cerca de seis meses, para garantir que os 3 mil fogos de artifício criassem um lindo espetáculo.

Pouco depois, foi a vez da Austrália, que celebrou a virada às 11h de Brasília. Em Sydney, milhões de pessoas assistiram ao famoso show de fogos de artifício da cidade. Além do show principal, que acontece à meia-noite, houve também um espetáculo de fogos três horas antes da virada.

Os últimos locais do planeta a dar as boas-vindas a 2018 serão algumas ilhas do território dos EUA, como Baker Island e Howland Island (às 08h de Brasília).

AS FESTAS DE ANO-NOVO PELO MUNDO PARA RECEBER 2018

  • Mulher ri enquanto espera para queima de fogos em Sydney, na Austrália; o país está entre os primeiros do mundo a dar as boas-vindas a 2018Foto: DAVID GRAY / REUTERS

  • Numa das queimas de fogos mais famosas do mundo, espetáculo toma conta do céu de Sydnay, na Austrália, três horas antes da virada; apresentação principal acontece só à meia-noiteFoto: David Moir / AP

  • Mulher reza em frente a lanternas que celebram chegada do ano novo em tempo budista de Seul, na Coreia do SulFoto: Ahn Young-joon / AP

  • No Japão, padres xintoístas participam de ritual para marcar os preparativos à chegada de 2018Foto: TORU HANAI / REUTERS

  • Artistas posam para fotos em dia de festa de Ano-Novo na principal praça da Cidade do México, que ganhou decoração especial para as festas no fim de anoFoto: Rebecca Blackwell / AP

  • Em Amiritsar, na Índia, crianças pintaram os rostos para esperar a chegada do ano novoFoto: NARINDER NANU / AFP

MAIS SEGURANÇA E MUITO FRIO

Em diversos países do mundo, as autoridades reforçaram a segurança para as festas de Ano-Novo, após 2017 ter sido marcado por diversos ataques terroristas. Na Europa, cidades como Madri, Berlim, Paris e Londres aumentaram o contingente policial e criaram barreiras para impedir que extremistas — ou os chamados lobos solitários — utilizem caminhões ou carros para atropelar vítimas, como em Nice, na França, ou Estolcomo, na Suécia. Nos EUA, cidades como Los Angeles e Nova York, também atingidas recentemente por atentados, reforçaram o policiamento.

Em Nova York, na tradicional festa na Times Square — onde são esperadas mais de dois milhões de pessoas — o contingente policial será o maior em muitos anos. Haverá mais cães detectores de bombas, equipes contra franco-atiradores e mais agentes no local. Os policiais envolvidos na operação também receberão um boletim tático e um vídeo de treinamento sobre homens-bomba. Veículos de bloqueio e caminhões com areia fecharão a Times Square, e o tráfego na região será restrito — os espectadores serão submetidos a dois pontos de controle para entrar na área.

Outro problema para as celebrações nas ruas é a onda de frio extremo que atinge partes do hemisfério norte neste inverno. Quem se aventurar na tradicional festa de ano novo da Times Square deverá enfrentar as temperaturas mais baixas para a noite da virada desde 1907, quando as pessoas começaram a se reunir na avenida para festejar o réveillon. A expectativa é de temperaturas em torno de -12 graus Celsius ou mais frio no centro de Manhattan, segundo meteorologistas. Nas ruas da cidade, diversos pontos ficaram congelados.

Água de fonte ficou congelada no Bryant Park em Nova York – Frank Franklin II / AP

E o frio surpreendeu até os canadenses, que sempre se orgulharam de viver no frio. As constantes temperaturas abaixo de zero começam a ser consideradas demais para eles. Na sexta-feira, algumas cidades cancelaram shows e estações de esqui foram fechadas por questões de segurança. As temperaturas quase chegaram a 50 graus Celsius negativos em duas cidades canadenses, Regina e Winnipeg, e na capital, Ottawa, as autoridades anunciaram o cancelamento de alguns dos espetáculos organizados para celebrar o 150º aniversário do país.

Alguns eventos que estavam previstos para este sábado e para a noite de Ano Novo tiveram que ser modificados por causa das advertências dos serviços meteorológicos da agência federal Environment Canada, que emitiram “alertas de frio extremo” argumentando preocupações em matéria de “saúde pública e de segurança”, segundo um comunicado do Ministério da Cultura.

O Globo

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48