segunda, 21 de maio de 2018
SIGA-NOS

Time da democracia reúne Lula, Chico e Mano Brown

Publicado em domingo, dezembro 24, 2017 · Comentar 

A inauguração do campo de futebol Doutor Sócrates na Escola Nacional Florestan Fernandes, em Guararema (SP), reuniu neste sábado o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dois grandes nomes da cultura brasileira: o cantor e compositor Chico Buarque e o rapper Mano Brown. Ambos apoiam o movimento “Eleição sem Lula é fraude”, que tenta impedir a continuidade do golpe no Brasil, com o banimento de Lula. O objetivo desta trama é converter o Brasil em colônia e permitir que riquezas nacionais continuem sendo entregues pelo governo Temer, que governa o Brasil mesmo sendo rejeitado por 97% da população.

Para assinar, clique aqui.

Leia abaixo o manifesto:

Manifesto Eleição sem Lula é fraude

A tentativa de marcar em tempo recorde para o dia 24 de janeiro a data do julgamento em segunda instância do processo de Lula nada tem de legalidade. Trata-se de um puro ato de perseguição da liderança política mais popular do país. O recurso de recorrer ao expediente espúrio de intervir no processo eleitoral sucede porque o golpe do Impeachment de Dilma não gerou um regime político de estabilidade conservadora por longos anos.

O plano estratégico em curso, depois de afastar Dilma da Presidência da República, retira os direitos dos trabalhadores, ameaça a previdência pública, privatiza a Petrobras, a Eletrobras e os bancos públicos, além de abandonar a política externa ativa e altiva.

A reforma trabalhista e o teto de gastos não atraíram os investimentos externos prometidos, que poderiam sustentar a campanha em 2018 de um governo alinhado ao neoliberalismo. Diante da impopularidade, esses setores não conseguiram construir, até o momento, uma candidatura viável à presidência.

Lula cresce nas pesquisas em todos os cenários de primeiro e segundo turno e até pode ganhar em primeiro turno. O cenário de vitória consagradora de Lula significaria o fracasso do golpe, possibilitaria a abertura de um novo ciclo político.

Por isso, a trama de impedir a candidatura do Lula vale tudo: condenação no tribunal de Porto Alegre, instituição do semiparlamentarismo e até adiar as eleições. Nenhuma das ações elencadas estão fora de cogitação. Compõem o arsenal de maldades de forças políticas que não prezam a democracia.

Da Redação 
Com Brasil 247

Comentários
Tags :


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48