sábado, 18 de agosto de 2018
SIGA-NOS

Reviravolta: Novos depoimentos confirmam ‘conspiração’ do vice para cassar mandato de Berg Lima em Bayeux



Publicado em segunda-feira, novembro 27, 2017 · Comentar 

Uma sequência de acontecimentos foi deflagrada para garantir que Berg Lima, prefeito afastado de Bayeux, fosse pego em flagrante e preso para que Luiz Antônio, seu então vice, pudesse assumir. Dois depoimentos confirmam que o suposto flagrante contra Berg foi resultado de uma intricada rede de manipulações.

O policial Jean Lima de Brito atuava como segurança particular de Luiz Antônio e também foi um dos policiais que conduziu a prisão de Berg Lima. Em seu depoimento ao GAECO revelou que trabalhava na Delegacia de Defraudações e que por sua proximidade com o delegado sabia de detalhes da ação. Jean teria dito que ao saber da ação com o delegado de Defraudações, Lucas Sá, repassou tudo para Luiz Antônio.

Quando vazaram as imagens de Luiz Antônio indo pedir uma quantia vultuosa de dinheiro, reunião que aconteceu um dia antes de Berg ser preso, o segurança que aparece nas imagens foi identificado como Jean. Quando Luiz Antônio tomou posse, a esposa de Jean foi nomeada para um cargo no Instituto de Previdência Municipal. Luana Mariano de Brito foi nomeada para cargo comissionado do IPM em primeiro de setembro de 2017.

Já o empresário, João Paulino de Assis, que aparece nas imagens dando R$3.500 para Berg, informou em seu depoimento que quem o levou à delegacia de defraudações para acusar Berg foi Luiz Antônio. A bomba veio com a confirmação de que Paulino estaria pagando uma parcela de um empréstimo que fez a Berg Lima e não pagando propina. No dia da prisão, horas antes, o representante do GAECO e Paulino, scanearem as notas que seriam entregues à Berg, preparando o flagrante. O empresário, Paulino, chegou a confirmar que Luiz Antônio estava indo sempre na Central de Polícia, deixar uns papéis. Leia Também: Câmara dos deputados articula expandir foro privilegiado para salvar Lula e Temer

JULGAMENTO NO STF

O Superior Tribunal de Justiça julgará, na próxima terça-feira (28), o pedido de habeas corpus do prefeito afastado de Bayeux, Berg Lima (Sem partido). O processo é relatado pela ministra Maria Thereza de Assis Moura, da sexta turma da corte. Berg está preso desde julho no 5º Batalhão da Polícia Militar em João Pessoa. Ele foi detido em flagrante numa ação conjunta entre a Polícia Civil e o Ministério Público da Paraíba enquanto recebia uma suposta propina de um empresário da cidade.

Fonte: Polêmica Paraíba

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48