Operação “Parcela Débito” desarticula fraude no IPM e filhos de ex-vereador da capital podem estar envolvidos


A operação “Parcela Débito” deflagrada na manhã desta quinta-feira (24) em uma ação conjunta do Ministério Público e da Polícia Civil no Instituto de Previdência Municipal de João Pessoa- IPM deu o que falar na cidade. Segundo informações coletadas pela rádio CBN de João Pessoa, três pessoas ligadas ao IPM foram presas além de dois filhos do ex-vereador da Capital e ex-superintendente do órgão Pedro Alberto Coutinho.

De acordo com o delegado Alan Murilo Terruel foram apreendidos planilhas com nomes, valores e destinações e destacou que havia gente do IPM e de fora do órgão, participando de vários eixos da quadrilha suspeita de fraude.

A rádio CBN destacou que entre os presos estão Verônica Veloso Guedes Gadelha que trabalhava no financeiro e dois ex-superintendentes, Cristiano Henrique Santos e Moacir Tenório, além de dois filhos do ex-vereador Pedro Alberto Coutinho.

O controlador-geral da Capital, Severino Queiroz, e o superintendente do Instituto de Previdência, Diego Tavares, participam da mesa ao lado do Ministério Público do Estado (Gaeco) que estiveram concedendo entrevista.

A operação visa desarticular uma quadrilha suspeita de fraudar e desviar cerca de R$ 25 milhões de reais do Instituto da Previdência do Município de João Pessoa (IPM-JP e envolve o Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil e Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba.

Eles cumpriram 22 mandados de busca e apreensão, 20 mandados de prisão e 16 mandados de condução coercitiva, expedidos pela 6ª Vara Criminal de João Pessoa.

Segundo informações do Gaeco e da Controladoria-Geral de João Pessoa, os investigados fraudavam a folha de pagamento do IPM de várias fomas como com concessão de gratificações irregulares para aposentados da prefeitura, mas os valores eram desviados para contas da quadrilha. Os suspeitos também mantinham irregularmente pensionistas e servidores fantasmas na folha de pagamento para ficar com as aposentadorias e salários que não deveriam ter sido concedidos.

Da Redação
Com Pbagora

Comentários

Artigos relacionados

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *