segunda, 15 de outubro de 2018
SIGA-NOS

Uma guinada: A SAUdável cidade de Caldas Brandão vive lei da mordaça e população teme cobrar do governo



Publicado em sexta-feira, agosto 4, 2017 · Comentar 

Assim como a prefeita, o povo de Caldas Brandão vive um silêncio ensurdecedor e pelo que apurou o expressopb.net, a lei da mordaça foi imposta horas após o resultado das eleições do ano passado. A aparente tranquilidade e estabilidade que mostrava uma cidade SAUdável com a vitória das mulheres em 2012, acabou quando a prefeita Neuma se reelegeu, assim descreveu um atento observador político daquele município, que preferiu não se identificar temendo receber retaliação.

Leia também: Tido por ‘O Farol’ como líder em Caldas Brandão, Saulo Rolim demite aliados e faz varredura pós eleição

Na análise desse morador antigo da cidade feita para o expressopb.net e que acompanha a política caldasbrandãoense há anos, o marido da prefeita, o ex-prefeito Saulo Rolim se mostrou um verdadeiro estrategista e articulador.

Conhecido por ter um temperado grosso, estilo intolerante e perseguidor quando foi prefeito naquele município, Saulo conseguiu convencer o eleitorado e a população – durante o primeiro mandato da esposa – de que teria mudado suas atitudes e convicções, tornando-se mais acessível e admirável… lêdo engano, segundo o leigo analista.

Após vencer as eleições de 2016, Saulo determinou uma varredura na folha de pagamento do município provocando uma série de demissões, mirando exatamente os aliados que se empenharam na vitória de sua esposa.

Agora, no novo mandato de Neuma, Saulo voltou a agir como outrora, não tolera críticas, impõe sua vontade e mete medo na população que vê seus direitos muitas vezes negado mais não pode reclamar.

Amordaçada, a população se ampara discretamente na oposição que também não tem muito a fazer, com apenas 3 vereadores e um deles, o filho do ex-prefeito Carlinhos Batista, pouco produzindo no parlamento daquele município.

Assim segue Caldas Brandão, calada e temerosa, como em tempos de outrora, tempos que o povo imaginava nunca mais rever.

 

Da Redação 
Do ExpressoPB

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48