domingo, 18 de novembro de 2018
SIGA-NOS

Impeachment: Renan se descontrola, provoca confusão e Lewandowski suspende outra vez a sessão



Publicado em sexta-feira, agosto 26, 2016 · Comentar 

14100450_707105596114255_1251060744326127626_nO presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), protagonizou uma nova confusão no plenário. O duelo verbal ocorreu depois que o peemedebista pediu a palavra para reclamar da postura de Gleisi Hoffman (PT-PR). “Ontem, a senadora Gleisi disse para todo país que o Senado não tem moral para julgar a presidente da República. Como a senadora pode fazer uma coisa dessa…”, reclamou. Ante ao clima conturbado, o ministro Ricardo Lewandowski suspendeu a sessão mais uma vez.

A confusão envolvendo o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e parlamentares petistas faz o ministro do Supremo e presidente da sessão final do impeachment, Ricardo Lewandowski, antecipar o almoço. O intervalo estava marcado originalmente para 13h.

Lindbergh chama Caiado de “desqualificado” e leva bronca de Lewandowski

Depois de um duelo verbal entre os senadores Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Lindbergh Farias (PT-RJ), o ministro Ricardo Lewandowski solicitou a interrupção da sessão por cinco minutos. Os trabalhos já foram retomados. Visivelmente irritado, Lewandowski alertou que não hesitará em usar o seu “poder de polícia para exigir respeito mútuo e recíproco” entre os parlamentares. A confusão ocorreu depois que, em discurso, Lindbergh reclamou da fala de Caiado. “Esse senador que me antecedeu é um desqualificado. O que ele fez com a senadora Gleisi… Ele disse que ela está aliciando testemunhas”, declarou o petista. O debate ainda gira em torno da qualificação de testemunhas.

Após uma confusão envolvendo os senadores rivais Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Lindbergh Farias (PT-RJ), o ministro do Supremo e presidente da sessão final do processo de impeachment, Ricardo Lewandowski, pede para que os microfones sejam cortados. Depois de Lindbergh afirmar que o colega é “desqualificado”, Lewandowski alerta: “Vou usar meu poder de polícia para exigir respeito mútuo e recíproco”.

Da Redação
Com UOL

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48