domingo, 24 de junho de 2018
SIGA-NOS

Polícia investiga vídeo que exibe jovem após estupro coletivo: ‘Mais de 30’, diz agressor



Publicado em quinta-feira, maio 26, 2016 · Comentar 

1464269125621-estupradorA Polícia Civil investiga um vídeo em que exibe uma jovem nua e desacordada após uma sessão de estupro. Ela seria menor de idade. O titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), Alessandro Thiers, confirmou a informação. O caso aconteceu na cidade do Rio. Nas imagens, dois homens exibem a jovem.

“Essa aqui, mais de 30 engravidou. Entendeu ou não entendeu?”, diz um dos homens na filmagem. Os homens também exibem o órgão genital da jovem ainda sagrando. “Olha como que tá (sic). Sangrando. Olha onde o trem passou. Onde o trem bala passou de marreta” , diz o outro agressor, orgulhoso.

Thiers informou que não dará mais detalhes do caso para proteger a vítima.

— Prefiro não comentar para não colocar a menina em risco — afirmou o delegado.

O caso ganhou repercussão pelo Twitter após os agressores divulgarem as imagens na internet. Além do vídeo, há pelo menos uma foto de um homem a frente do corpo nu da jovem. O perfil de um dos homens que postaram as imagens foi apagado.

0d98c5ee554301ca4da9dadac9f099ca

MP entra no caso

O Ministério Público do Rio recebeu, através da Ouvidoria, as imagens que circulam pelas redes sociais. “O material será encaminhado à 23ª Promotoria de Investigação Penal do MPRJ, porque, segundo denúncias, a vítima ainda está desaparecida e é esta promotoria que trabalha junto à Delegacia Anti-Sequestro (DAS)”, informou o órgão.

Repercussão na web e como denunciar

Para piorar a situação, teve gente que ainda fez piada com o estupro coletivo. O perfil que publicou o vídeo pornográfico com o crime foi delegado do Twitter. No entanto, usuários do microblog de 140 caracteres continuam compartilhando as imagens.  É bom lembrar que o governo brasileiro disponibiliza um serviço exclusivamente para denunciar à violência contra a mulher. Para isso, basta ligar para o 180. Não é necessário ser uma vítima para fazer a denúncia. Qualquer pessoa que tiver informações sobre uma mulher que é agredida pode usar o telefone.

As imagens dessa matéria passaram por edição para evitar a exposição da menor de idade envolvida no crime bárbaro. Por isso, uma tarja foi utilizada. 

Da Redação
Com Extra /Blasting News

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48