sexta, 21 de setembro de 2018
SIGA-NOS

PF cumpre dois mandados da Operação Zelotes em condomínio de luxo, em João Pessoa



Publicado em segunda-feira, maio 9, 2016 · Comentar 

pF- jpPoliciais federais cumpriram dois mandados de busca e apreensão na manhã desta segunda-feira (9), em João Pessoa, em uma ação de mais uma etapa da Operação Zelotes. Também estão sendo realizadas ações no Distrito Federal, Pernambuco e em São Paulo. O advogado Francisco Sales Fernandes teria sido detido na ação da Capital para prestar esclarecimentos. Ele foi nomeado para o Carf pelo ex-ministro Guido Mantega.

A assessoria de imprensa da Polícia Federal de Brasília confirmou que os mandados foram cumpridos em um condomínio de luxo no bairro do Altiplano Cabo Branco. A PF informou que não realizará entrevista coletiva nos estados da ação da PF no estado, mas uma nota será repassada pela ascom da PF de Brasília.

Outra condução coercitiva contra paraibano teria sido realizada em Brasília, contra Otacílio Cartaxo, que é ex-secretário da Receita Federal, foi denunciado pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal (MPF-DF) por suspeita de que ele tenha se envolvido em um esquema de propina, no valor de R$ 4,5 milhões.

A Operação Zelotes foi deflagrada há pouco mais de um ano, em março de 2015. Inicialmente, o alvo era o esquema de fraudes nos julgamentos do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

Na manhã desta segunda, agentes da Polícia Federal e integrantes do Ministério Público Federal cumpriam mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva na Paraíba, Distrito Federal, em São Paulo e em Pernambuco.

Um dos alvos é a empresa Cimento Penha, cujo dono é Victor Garcia Sandri, amigo do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, que está entre as pessoas levadas para prestar depoimento.
As investigações indicam que a empresa do amigo do ex-ministro teria pago propina ao conselheiro do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), órgão ligado ao Ministério da Fazenda, Valmar Fonseca de Menezes para conseguir abatimento em uma dívida de R$ 106 milhões junto à Receita Federal.
Os procuradores apuraram que Menezes e outro conselheiro, José Ricardo da Silva, foram nomeados por Guido Mantega para a câmara que analisou o pedido da Cimento Penha. Silva, inclusive, já foi condenado na Zelotes. O ex-ministro e a empresa dele já tiveram os sigilos fiscal e bancário quebrados por ordem da Justiça.

Em e-mails interceptados pela Zelotes, o empresário Victor Sandri menciona o nome de Mantega em conversas com o então conselheiro Valmar. As investigações teriam encontrado pagamento de R$ 15 milhões para empresa de auditoria e consultoria vinculada a Valmar.

Da Redação
Com Portal Correio

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48