quinta, 20 de setembro de 2018
SIGA-NOS

Caso de Polícia: Taxista alternativo de Itapororoca e adolescente em Guarabira estão desaparecidas



Publicado em sexta-feira, maio 6, 2016 · Comentar 

desaparecidasDois casos de gente desaparecida estão sendo investigados pela polícia do brejo e do Vale do Mamanguape envolvendo uma adolescente e uma  senhora, respectivamente.

O primeiro caso aconteceu na cidade de Itapororoca, no Vale do Mamanguape, quando a comerciante Maria Arcanjo, que também é taxista alternativo foi vista há cerca de uma semana pela última vez ao lado de um casal que havia comprado uma casa da vítima, no valor de 150 mil reais.

Segundo informações a vítima que também era conhecida como Lourdes, vendeu a casa e foi para Mamanguape com o referido casal passar a documentação em cartório e desde então não foi mais vista. A companheira de Lourdes entrou em contato com a polícia dando conta do seu desaparecimento.

O carro de Lourdes foi encontrado abandonado por trás do ginásio de esportes da cidade de Araçagi. A delegada que está investigando o caso tem posse de imagens de circuito interno de uma agência bancária mostrando o momento em que o casal fez saque na conta da taxista.

O caso segue sob investigação.

Já em Guarabira, no brejo, uma adolescente de apenas 14 anos, identificada pelo nome de Raylla Maria, estudante da Escola Municipal Osmar de Aquino, saiu de casa para escola na última quarta-feira (4), devidamente fardada, e não mais voltou para casa. Colegas de sala disseram ter visto a adolescente na escola, mas dizem que ela não assistiu aula no dia do desaparecimento.

Nas redes sociais, familiares de Raylla e colegas de sala de aula fazem apelos para que alguém possa fornecer alguma informação que vele ao paradeiro da garota. A jovem é natural do município de Pirpirituba, mas atualmente mora em Guarabira com uma irmã, no bairro Novo.

De acordo com a Secretaria de Educação de Guarabira, a escola onde estuda a adolescente existe em funcionamento permanente um sistema de monitoramento de câmeras de filmagem e que a unidade de ensino está à disposição para colaborar no que for necessário para elucidar o caso. Com acesso às imagens, será possível identificar se a jovem entrou em sala de aula ou se mais alguém estranho ao ambiente escolar esteve na escola em contato com Raylla.

Nos dois casos a polícia está em investigação.

Da Redação
Do expressopb.net informações dos Portais 25Horas e Mídia.net

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48