terça, 17 de julho de 2018
SIGA-NOS

Cristiano Ronaldo tira 3 gols da cartola, e Real vai às semis da Champions



Publicado em quarta-feira, abril 13, 2016 · Comentar 

1460547623865-cristiano-ronaldoCom três gols do português Cristiano Ronaldo, que conseguiu a “mágica” que ontem dizia esperar, o Real Madrid bateu nesta terça-feira o Wolfsburg por 3 a 0 em um estádio Santiago Bernabéu que viveu noite de caldeirão, e se classificou para as semifinais da Liga dos Campeões da Europa.

O camisa 7 balançou as redes duas vezes no primeiro tempo, aos 16 e 17 minutos, o que já representava o empate no placar agregado, em função da derrota na última quarta-feira por 2 a 0 no jogo de ida, disputado na Alemanha. O tiro de misericórdia no rival veio aos 32 da etapa complementar, com gol de falta do atacante.

Com os três gols, Cristiano Ronaldo chegou a 16 na atual edição, ficando a um de igualar o recorde que ele próprio estabeleceu na temporada 2013/2014. Além disso, o português aumentou ainda mais a vantagem na liderança do ranking histórico da competição, com 92 gols, nove à frente do argentino Lionel Messi, do Barcelona.

Ontem, CR7 concedeu entrevista coletiva e, praticamente, previu o roteiro de hoje, que ainda teve o Santiago Bernabéu em “dia de Libertadores”, com torcida cantando durante 90 minutos, pressão no adversário e incentivo incondicional, mesmo nos momentos mais difíceis.

“É preciso ter o coração frio em muitos momentos, ter paciência, e saber sofrer também. Tem que ser uma noite perfeita. O time acredita, o técnico acredita e a torcida sabe que precisa acreditar também. Tem que ser uma terça-feira mágica”, disse o craque.

Esta é a sexta vez consecutiva que o Real Madrid garante lugar nas semifinais da Liga dos Campeões da Europa. O adversário na próxima etapa, no entanto, só será conhecido nesta sexta-feira, com sorteio que será realizado na sede da Uefa, em Nyon, na Suíça.

Para o jogo desta terça-feira, dos 21 dos 22 jogadores que entraram em campo na semana passada voltaram a figurar entre os titulares. A única mudança foi no Real Madrid, com o contestado lateral-direito brasileiro Danilo dando lugar a Dani Carvajal.

Casemiro levou a melhor sobre James Rodríguez e foi mantido no time por Zinedine Zidane, que ainda escalou Marcelo. No Wolfsburg, Dieter Hecking repetiu o 11 utilizado na Alemanha, incluindo Naldo, Dante, Luiz Gustavo e Bruno Henrique, esse último, um dos destaques da partida de ida.

Com o apito inicial, o Real começou um verdadeiro “abafa” no adversário, com marcação forte na saída de bola, passes mais profundos em direção aos homens de frente, laterais atuando como pontas. Aos 5 minutos, após cobrança de escanteio da esquerda, Sergio Ramos ganhou da zaga e acertou cabeçada na trave.

A pressão seguiu intensa e o Santiago Bernabéu pulsando, até que aos 16 minutos do primeiro tempo, Carvajal cruzou da direita, a zaga do Wolfsburg vacilou, e Cristiano Ronaldo apareceu no segundo pau para estufar as redes e abrir o placar.

Passado apenas um minuto, o português foi mortal outra vez aos 16, para já igualar o marcador agregado da série eliminatórias e acabar com a vantagem do time alemão. O gol foi de cabeça, após cobrança de escanteio executada por Kroos.

Após o início fulminante, o Real reduziu um pouco o ritmo, apesar de se manter mais ofensivo que o Wolfsburg, que começou a mostrar algum interesse em atacar. Só aos 28 minutos houve nova chance de a rede balançar, quando Benzema recebeu na esquerda, disparou e bateu cruzado, para a defesa de Benaglio.

Para piorar a situação no jogo em que perdia por 2 a 0, aos 31 minutos o time alemão perdeu o camisa 10, Draxler, que deixou o gramado por lesão, dando lugar a Kruse, que entrou para jogar de centroavante, enquanto Schürlle foi deslocado para o lado esquerdo do ataque.

Aos 33, o Wolfsburg calou o Santiago Bernabéu, levando agonia ao torcedor, quando Luiz Gustavo recebeu na intermediária e acertou uma bomba de pé direito. Navas, atento, fez uma defesaça e jogou a bola para escanteio, permitindo que o silêncio seguinte fosse uma expressão de alívio.

Quatro minuto depois, os visitantes tiveram nova chance de marcar, quando Bruno Henrique recebeu na área, dominou, ajeitou e bateu. Marcelo serviu de parede e evitou o gol, fazendo com que a bola saísse pela linha de fundo, em escanteio.

Nos instantes finais, o Real acordou, e após bola alçada na área, Benzema recebeu livre no lado esquerdo da área. O atacante francês, no entanto, teve dificuldade para dominar e na hora de bater para o gol, que parecia certo, acabou carimbando Luiz Gustavo.

O segundo tempo começou com panorama parecido com o dos primeiros minutos da etapa inicial. A diferença é que o Wolfsburg passou a oferecer mais ameaça no contra-ataque, obrigando os anfitriões a ter mais cautela. O primeiro chute efetivo ao gol veio só aos 11 minutos, em cobrança de falta de Cristiano Ronaldo, que explodiu na barreira.

Aos 15, o Wolfsburg quase sofre com “fogo amigo”, quando Modric recebeu na direita e cruzou para o meio da área. A bola bateu em Guilavogui e Naldo, e foi em direção ao gol. Benaglio, no susto, conseguiu fazer a defesa em dois tempos.

Um lance incrível aconteceu aos 20 minutos, quando Sergio Ramos testou após escanteio da esquerda batido por Kroos, acertou o pé da trave esquerda. Na sequência, a bola veio em direção a Benaglio, que estava quase em cima da linha. O suíço fez conseguiu interceptá-la antes de que batesse em suas costas e entrasse.

A torcida chegou a gritar gol, alguns jogadores esboçaram comemoração, mas a arbitragem comandada pelo húngaro Viktor Kassai se manteve imóvel e não validou o complicado lance. Vale lembrar que, nas competições organizadas pela Uefa, não há sistema de verificação eletrônica, como havia na Copa do Mundo, por exemplo.

Aos 23, Dante teve a oportunidade de jogar água no chope do Real, ao pegar sobra após cruzmanento na área e bater para a defesa de Navas. Poucos instantes depois, o Wolfsburg perdeu outro jogador, Bruno Henrique, que trombou com adversário e saiu de maca de campo. Caligiuri substituiu o meia-atacante brasileiro.

Aos 31 minutos do segundo tempo, Luiz Gustavo derrubou Modric na entrada da área e recebeu cartão amarelo. Na cobrança, Cristiano Ronaldo encontrou uma brecha no meio da barreira, entre Naldo e Guilavogui, e fez o terceiro do Real Madrid.

A classificação para às semifinais poderia ter sido selada já aos 35, quando Benzema recebeu na direita, passou como quis por Vieirinha e soltou a bomba de perna direita. Benaglio fez grande defesa e evitou o quarto dos donos da casa.

O suíço fez como pôde a sua parte para evitar mais um gol do Real. Aos 39, ele se esticou todo para conseguir desviar bola chutada por Jesé, que havia acabado de entrar no lugar de Benzema. Aos 44, em lance com um pouco menos de dificuldade, foi a vez de pegar chute de Bale.

Ficha técnica:.

Real Madrid: Navas; Carvajal, Pepe, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro, Kroos e Modric; Bale, Cristiano Ronaldo e Benzema (Jesé). Técnico: Zinedine Zidane.

Wolfsburg: Benaglio; Vierinha, Naldo, Dante e Ricardo Rodríguez; Luiz Gustavo, Guilavogui (Dost), Arnold, Bruno Henrique (Caligiuri) e Draxler (Kruse); Schürrle. Técnico: Dieter Hecking.

Árbitro: Viktor Kassai (Hungria), auxiliado pelos compatriotas Gyorgy Ring e Vencel Toth.

Gols: Cristiano Ronaldo (3) (Real Madrid).

Cartões amarelos: Cristiano Ronaldo (Real Madrid); Arnold, Luiz Gustavo, Dante e Vieirinha (Wolfsburg).

Estádio: Santiago Bernabéu, em Madri (Espanha).

Da Redação
Com Terra

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48