domingo, 22 de abril de 2018
SIGA-NOS

À EXPRESSO, Dra. Lígia diz: “Dá vergonha a gente ver uma PB na mídia nacional com escândalos de corrupção”

Publicado em sábado, Março 19, 2016 · Comentar 

Dra-Ligia-entrevista-revistaEm entrevista exclusiva a Revista EXPRESSO, edição de fevereiro, a vice-governadora Lígia Feliciano respondeu uma série de perguntas do repórter Tiago Silva, durante sua passagem na região da Zona da Mata da PB.

Apesar de afirmar que não gostaria de tratar de assuntos, a não ser dos que provocaram sua passagem por aqui, a Dra. Lígia falou sobre a prisão da prefeita de Monte Horebe, que foi destaque nacional e o furto de água do Canal da Redenção nas várzeas de Sousa, no sertão do estado:  “dá vergonha, a gente ver uma Paraíba na mídia nacional com escândalos de corrupção”.

Confira a seguir a íntegra da entrevista com a Dra. Lígia Feliciano, que é reproduzida na íntegra da edição impressa de EXPRESSO:

ENTREVISTA

Lígia Feliciano: “Dá vergonha, a gente ver uma Paraíba na mídia nacional com escândalos de corrupção”

Ela sabe até que ponto pode falar para não comprar comprometer o governo que compõe. Cautelosa, palavras medidas, voz suave e lenta – tudo para pensar bem antes de soltar as palavras – a Dra. Lígia Feliciano, vice-governadora do Estado da Paraíba, concedeu uma entrevista exclusiva a EXPRESSO no dia 22, no Paço da Prefeitura Municipal de Sobrado, Zona da Mata da Paraíba, quando de sua visita a região.

Apesar de receosa, Dra. Lígia respondeu a todas as perguntas feitas pelo repórter Tiago Silva, sob os olhares permanentes e atentos de seus assessores.

Saúde e segurança nortearam a conversa, mas assuntos mais incômodos, a exemplo de prisão de prefeita, roubo de água no sertão também foram tratados, conforme o leitor confere a seguir:

RE – Dra. Lígia Feliciano, quais são as medidas que o Governo do Estado vem tomando para combater essa epidemia do mosquito da dengue e zika vírus?

Lígia Feliciano – Nós estamos trabalhando em três pilares: primeiro, o combate ao mosquito com várias ações junto com as prefeituras, os agentes de saúde, são medidas para combater o mosquito; com a união de todos os poderes para combater o mosquito, não deixar ele nascer, tendo uma vigilância permanente. A Paraíba fez um trabalho exemplar graças ao trabalho conjunto de todos, já visitamos 99% das casas, mais essas visitas junto com as forças armadas e exercito em todos os municípios precisam continuar, porque depois de oito dias se tiver algum ovulo nasce de novo; é uma luta permanente, de atenção de alerta de convocar toda população para que se una em uma só campanha de combater o mosquito, até que realmente possamos acabar; o segundo é questão de proteção e informação, principalmente as mulheres grávidas que precisam se cuidar, usar repelentes, roupas de manga comprida, proteger sua casa, 80% dos mosquitos são encontrados nas residências, então se começa nas nossas casas, para proteger toda população. É muito importante toda essa conscientização, porque o mosquito não só transmite o Zica vírus, como também esse mal que é a microcefalia, a dengue, que leva várias pessoas a se hospitalizar, a perder dia de trabalho e até a morte. O número de pessoas com dengue é muito elevado tem também a chikungunya e esse mosquito trás um mal muito grande, a Síndrome de Guillain-Barré que graças a Deus é pouco caso registrado, mais é uma doença gravíssima que trás uma paralisia de todo sistema nervoso, que também é transmitido pelo mosquito. E o terceiro pilar é a pesquisa, o governo do estado tem o ciclo do coração desde 2012, que dar um atendimento as crianças, assim que nasce ver se elas tem ou não problemas de coração, esse ciclo do coração atende todos os paraibanos e com isso acabou aquela chamada fila da morte, antigamente nascia uma criança com cardiopatia congênita não tinham oportunidades de ter um tratamento, de ir ao hospital, fazer uma cirurgia mais isso acabou na Paraíba. Imediatamente se a criança precisa de cirurgia ela é encaminhada para esse tratamento e já são mais de 400 cirurgias feitas aqui na Paraíba isso quer dizer foram vidas salvas esse ciclo do coração pegamos o banco de dados e estamos fazendo pesquisas com todas essas crianças com 16.000 que nasceram nesse período pra saber quais nasceram com microcefalia, quais as possíveis causas e notamos que o número de casos aumentara em 2012 e 2013 e claro 2015 aumentou muito mais e essa pesquisa atraiu a atenção de toda comunidade internacional; está em João Pessoa um grupo de americanos, juntos com o governo do Estado aprofundando essas pesquisas para encontrar a resposta. Há várias perguntas que temos: É só a Zika que causa a microcefalia? Como podemos tratar? Como podemos desenvolver uma vacina para proteger a população? Então toda essa pesquisa está sendo trabalhada pelo governo do Estado. Um trabalho incansável junto com os prefeitos, os agentes de saúde, juntos com todos para combater e vencermos esse mosquito.

RE –   Há muitas reclamações com relação aos atendimentos nas unidades hospitalares da rede estadual, superlotação, falta de material. Como o governo tenta resolver esse problema?

Lígia Feliciano – Eu sempre digo como médica, que a saúde pública do Brasil como toda precisa melhorar e muito, a rede estadual ela é responsável por aqueles casos de alta complexidade. Nós temos em João pessoa o hospital do trauma que recebe toda essa região, em Campina Grande também outro hospital do trauma, esses dois hospitais cuidam da alta complexidade e atende muito bem a população a demanda sempre é muito grande, a atenção básica fica por conta dos municípios e eu sei que muitos estão passando por dificuldades financeiras devido a crise mais acho que a saúde é PRIORIDADE. A cada dia trabalhando para melhorar o atendimento de qualidade mais eu tenho a consciência que ainda tem muito o que fazer.

RE – Outra questão Drª Lígia é sobre a Segurança Pública; muitos roubos, assaltos a mão armada e uma série de assassinatos na capital e no interior vão se tornando rotina a cada dia na PB, apesar da marcação cerrada da polícia contra marginais. Que providências o Estado vem tomando para coibir a criminalidade e o aumento da violência no estado?

Lígia Feliciano – A segurança pública é uma questão preocupante, participo mensalmente junto com o governador Ricardo Coutinho para analisar e debater toda questão da segurança pública na Paraíba que é um caso de muita preocupação. No governo atual foram investidos muito em segurança pública em questão de equipar carros novos, condições para que os policiais tenham equipamento necessários, treinamentos, mais tudo isso ainda não fez com que acabe, nós conseguimos diminuir em 15% os crimes, os homicídios diminuíram, mais ainda é muito pouco, ainda é muito alto o número de homicídios, nós sabemos que infelizmente muitos têm ligações a drogas, tem de todo tipo de homicídio, mais principalmente com relação a droga. E o Governo do Estado vem trabalhando incansavelmente, mais infelizmente é como uma vez eu vi uma entrevista a gente não pode está na porta de cada casa, hoje em dia a gente faz o possível (…) eu conversava aqui com o prefeito, quando eu entrava já vi essa unidade móvel aqui na praça dando uma assistência, essa delegacia móvel dando assistência, aumentou também o efetivo, o policiamento equipou, mais a violência é uma questão que precisa ser levada em conta toda uma conjuntura e precisa inclusive uma ação federal de todas as autoridades para um combate efetivo.

RE – A Paraíba nos últimos dias tem sido matéria nacional dando por exemplo a casos como o da prisão de uma prefeita, o desvio de água do canal de Sousa por parte de um ex-prefeito. Qual interpretação que a senhora faz disto. Dá vergonha a Paraíba?

Lígia Feliciano – Dá vergonha, a gente ver uma Paraíba tão boa, tão bonita tanta coisa positiva que tem aqui na Paraíba, tanta gente trabalhadora e a gente ver essas reportagens; a gente fica triste ver a dificuldade que se tem pela água e ver pessoas tirando a água que serve para uma comunidade inteira, uma falta de consciência e ver desvio e mais desvio dessa questão que está ai. A operação Andaime investigando mais de 80 prefeituras, a gente fica triste com isso, mais a gente também ver que a partir disso pode a população enxergar e ver que precisa analisar bem as pessoas. Então uma nova geração de políticos está surgindo, onde a comunidade passa a prestar mais atenção ao escolher bem os seus governantes, disso tudo a gente tira um ponto positivo que é uma atenção para escolher bem os representantes, tudo tem que ser analisado e quem errou tem que ser punido.

Da Redação
Do ExpressoPB

Comentários
Tags :


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48