domingo, 22 de julho de 2018
SIGA-NOS

Briga paroquial extrapola fronteiras da pequena Pocinhos e Prefeito e Deputado se enfrentam na mídia estadual



Publicado em sábado, março 5, 2016 · Comentar 

Adriano-Claudio-PocinhosA briga política entre o prefeito Cláudio Chaves e o deputado Adriano Galdino, que envolve a cidade de Pocinhos, extrapolou as fronteiras e chega a mídia estadual devendo ter desdobramentos cada vez mais agressivos.

O Deputado Adriano Galdino, em entrevista concedida no final da semana passada a uma rádio campinense, acusou o atual chefe do executivo municipal de Pocinhos, Cláudio Chaves de ser um péssimo gestor e de manter a cidade num verdadeiro caos.

Cláudio rebateu aos ataques e disse que constatou caos ao assumir a Prefeitura de Pocinhos. O prefeito denunciou que o ex-gestor, Arthur Galdino (que é sobrinho de Adriano Galdino) teria desviado recursos públicos, além de deixar várias obras inacabadas na Cidade. “Caos existia na gestão dele e do seu sobrinho, porque agora estamos trabalhando com transparência e usando os recursos públicos no que deve ser investido e não desviando como era feito antes. Sem falar nas inúmeras obras que eles deixaram inacabadas e o dinheiro simplesmente sumiu. Ele passou 20 anos enganando os pocinhenses e agora quer fazer o mesmo com os campinenses”, destacou.

Cláudio Chaves citou como exemplo, o Hospital Municipal de Pocinhos, onde o ex-gestor recebeu recursos do governo do estado para reformar a unidade hospitalar, mas ao perder a eleição passada, devolveu o dinheiro para o Estado. “O Hospital de Pocinhos era para estar funcionando hoje e não está porque eles receberam os recursos do estado para fazer reforma e ampliação da sala de parto e do centro cirúrgico e quando perderam a eleição, devolveram e está lá o caos, sem condições para que a gente possa atender o povo de Pocinhos”, explicou.

O prefeito também citou o Colégio Municipal de Pocinhos, onde foi gasto R$ 700 mil em reformas, mas salientou que não pode chover no município, pois impossibilita das aulas ocorrerem. “Se você for para o Colégio Municipal de Pocinhos, um colégio grande, gastaram 700 mil, mas se chover não tem como ter aulas, porque não existe condições. Denunciamos este e outros fatos e estamos aguardando um posicionamento do Tribunal de Conta do Estado e também da Secretaria Estadual de Educação”, comentou.

Segundo, Cláudio Chaves, na zona rural, a situação é ainda pior. Ele disse que o sobrinho de Adriano Galdino, teria recebido recursos para construir duas escolas nos sítios Maris Preto e Lajedo do Boi, e além de não as concluir não a equiparam. “Eles não concluíram as obras das escolas, não equiparam, não compraram sequer uma colher, gastaram o dobro do valor orçado inicialmente e não se sabe onde esse dinheiro foi parar. O valor inicial era de R$ 545 mil e gastaram R$ 898 mil. Os recursos que eram para Lajedo do Boi foram transferidos ilegalmente para a zona urbana, o que acabou travando quase todos os recursos. Eles usaram os recursos para outros fins, menos para o que deveria ser feito”, garantiu.

Cláudio acrescentou que no povoado de Arruda, o sobrinho de Adriano Galdino recebeu R$ 210 mil para construir uma quadra, mas gastaram R$ 260 mil e só tem 20% da obra feita. Nesta mesma localidade, o prefeito denunciou que o ex-prefeito recebeu R$ 40 mil para construir um Posto de Saúde e, segundo ele, foi feita uma obra totalmente irregular e diferente do que havia sido aprovada inicialmente. “Apenas 20% desta obra ficou pronta e temos hoje em mãos, apenas um documento da empresa afirmando que vai concluir. Vamos aguardar. No posto de saúde o caos é evidente, porque foi aprovado uma coisa e foi feita outra”, ponderou.

O prefeito de Pocinhos, denunciou ainda que na gestão passada ocorreu um concurso na Cidade, mas o Ministério Público pediu seu cancelamento por constatar diversas irregularidades. “Eles contrataram uma empresa chamada Meta Concurso que serviu mais para ‘meta a mão’ e ficou comprovado que pessoas que não compareceram para fazer as provas, foram aprovadas e outras que não concluíram também constavam na lista dos aprovados. Enquanto isso, nós contratamos na nossa gestão a UFPB para realizar concurso para 241 vagas e já chamamos mais de 70% dos aprovados. Nossas ações são transparentes, aplicamos o dinheiro público onde tem que ser aplicado”, destacou.

Sobre a mudança de domicílio eleitoral do deputado estadual, Adriano Galdino para Campina Grande, Cláudio Chaves ironizou e disse que a família Galdino dá mais uma demonstração do amor que tem por sua cidade natal. “Essa transferência de domicílio só demonstra que eles não têm amor pela cidade como dizem e que Pocinhos só serviu para usufruto próprio. Ele diz que o povo de Pocinhos está com saudades, de forma alguma, é tanto que em 2012 perderam a eleição, em 2014 perderam para novamente para governador e vão apanhar de novo este ano”, criticou.

Por fim, Cláudio Chaves acusa o deputado estadual, Adriano Galdino de travar os recursos do governo do estado para a cidade de Pocinhos. “Ele faz uma política rasteira e de perseguição, trava todos os recursos que poderiam chegar até Pocinhos e desta forma, só prejudica os pocinhenses”, disse. Confira a entrevista do prefeito de Pocinhos Claudio Chaves na integra na Campina Grande FM, 93,1 no link: https://youtu.be/uU6bgiRFE6o

Segundo o internauta Nuremberg Bernardo Pereira os desmando de Adriano Galdino em Pocinho são seríssimos. No seu perfil do facebook (https://www.facebook.com/neuremberg.pereira). “Gastaram no ano de 2012 quase 800 mil reais com uma “reforma” do Colégio Municipal Padre Galvão! Detalhe em 20 de Novembro de 2012 (um mês antes de entregar a Prefeitura de Pocinhos) foi pago absurdos R$ 229.840.43! Outro detalhe o refeitório com piso afundando e a cozinha impossibilitada de fazer refeições! Mais Um detalhe, o telhado cheio de goteiras e as Janelas todas quebradas! As maiores testemunhas são os Professores e Alunos”, afirmou no seu perfil.

thumbnail_Neuremberg face

Da Redação
Com Rádio Campina Grande FM

Comentários


SIGA-NOS

Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio

Copyright © 2017 - ExpressoPB - CNPJ: 10.962.007/0001-48