ExpressoPB

Em Nota, Vereadores Marcondes Baltazar e Magdiel Olinto taxam presidente da Câmara de Mari/PB de oportunista e acusam atual Prefeito de quebrar o Mariprev


12822160_573923026091927_968826746_nOs Vereadores Magdiel Olinto e Marcondes Baltazar (FOTO) enviaram nota à Redação do expressopb.net, onde rebatem afirmações do Presidente da Câmara de Mari, veiculadas em um dos portais da cidade.

Na nota, os vereadores chamam de oportunista a tentativa do Presidente do legislativo mariense em tentar colocar a opinião pública contra o vereador Magdiel, alegando que o mesmo defende o fechamento da Policlínica.

Em outro trecho, os vereadores também tratam como oportunista a manifestação do Presidente em defesa do aumento de 12% concedido aos professores, que segundo os parlamentares, só foi concedido devido à preocupação do Prefeito com a sua imagem em ano eleitoral.

Os vereadores ainda apresentam dados do TCE/PB e acusam o atual prefeito de quebrar o Instituto de Previdência Municipal (Mariprev), com a diminuição da quantidade de contribuintes e o aumento do número de beneficiários.

Confira abaixo, a Nota na íntegra:

– É muito cômodo e oportunista o posicionamento do Sr. Presidente da Câmara de Mari, se manifestando ao lado dos profissionais da educação do nosso Município, por terem recebido um aumento salarial de 12%. Entretanto, faltou essa mesma solidariedade por parte do Sr. Presidente com esses mesmos profissionais nos anos anteriores, quando reivindicavam melhores condições salariais, onde recorreram, inclusive, ao direito de greve e foram rechaçados judicialmente, através de ação de ilegalidade do ato promovida pelo Prefeito. Naquele momento, ao invés de estar solidário com os professores, preferiu o Sr. Presidente, Edvaldo Martins e demais integrantes da bancada situacionista, ficar ao lado do alcaide mariense;

– O posicionamento do Sr. Presidente da Câmara é cômodo e oportunista, quanto o aumento concedido pelo Sr. Prefeito, que só o concedeu por tratar-se de ano eleitoral, preocupado não com o reconhecimento desses profissionais, mas com a sua própria imagem, já muito debilitada e desacreditada perante a opinião pública;

– Oportunista também é a afirmação do Sr, Presidente da Câmara, ao dizer que o vereador Magdiel foi bastante infeliz na sua fala na tribuna da Câmara Municipal, onde supostamente o parlamentar teria defendido o fechamento da Policlínica Municipal. Oportunista, porque com o objetivo de jogar a opinião pública contra o parlamentar, cita apenas um trecho da fala do Vereador Magdiel, sem no entanto, referir-se ao contexto em que o vereador utilizou a citada expressão. A expressão utilizada pelo vereador Magdiel, representou naquele momento, a indignação da maioria da população mariense diante do descaso da gestão municipal que não oferece melhores condições de trabalho ao esforçados profissionais que ali trabalham. É fácil para o Sr. Presidente Edvaldo defender o descaso da saúde pública falida de nossa cidade. Difícil é explicar ao familiares das pessoas que vieram a falecer na Policlínica que o desfibrilador não poderia ser utilizado para tentar reanimar seus parentes, porque faltava o gel necessário para a utilização do equipamento. Dificil ainda mais, é explicar que cinco quilos do referido produto custa em torno de R$ 29,00 (vinte e nove reais). Para essas famílias, as portas da Policlínica já fecharam.

– Ainda na referida matéria, o Sr. Edvaldo Martins afirma que o MariPrev, criado na gestão do ex-prefeito Antonio Gomes, é hoje um mal para os nossos servidores. Entretanto, esquece o Sr. Chefe do legislativo mariense, de esclarecer que o atual prefeito, que ele tanto defende, quebrou o Mariprev, sendo o grande responsável pelo possível mal provocado contra os servidores. Bastaria que o Sr. Edvaldo verificasse junto ao Sagres/TCE, (VER IMAGENS) para verificar que no final da gestão do ex-prefeito (2012), haviam apenas 36 Inativos / Pensionistas, na folha do referido Instituto, enquanto existiam 713 servidores efetivos contribuindo para o mesmo.

Mariprev 1 Mariprev 2– Se o Sr. Edvaldo Martins cumprisse com o seu papel de fiscal do dinheiro público e bem estar desses servidores, veria também, que no final do ano passado (2015), o Mariprev já mantinha em sua folha, 225 Inativos, Pensionistas e Beneficiários temporários. De outro lado, o número de servidores contribuintes diminuiu para apenas 568. Com o aumento de beneficiários, seguido da diminuição de contribuintes, a situação do patrimônio do servidor público sofre grave risco.

– Por fim, cabe-nos ressaltar que a sociedade mariense tem acompanhado diariamente a nossa atuação e acreditamos que jamais irão se deixar levar pelos discursos oportunistas daqueles que só sabem defender os próprios interesses.

Marcondes Baltazar de Mendonça

Magdiel do Nascimento.

 

Da Redação
Do ExpressoPB
Comentários

Artigos relacionados

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *